domingo, 28 de abril de 2013

Faça o que eu digo

Postado por MissHachi7 às 14:24 0 comentários
    Você pode me chamar de hipócrita. Eu não tenho muita autoestima, mas quando as pessoas que eu amo começam a falar muito mal de si mesmas, fico preocupada. "Por que só você pode se detestar?" Bom, quando eu falo de mim, refiro-me a fatos incontestáveis. Mas vocês não! Ficam reclamando de coisas que simplesmente não existem.
    Corta meu coração ver gente boa se chamando de burra por causa de uma distração, ou se achando a pior pessoa do mundo por ter falado uma besteira miniatúrica impensada. Quer dizer, eu conheço muitos palermas genuínos que se acham o máximo! Por que quem é bom não vê que é? Parece até que têm uma lupa desfocada pra olhar pros próprios defeitos. Enxergam tudo maior e pior!
    Então sejamos honestos por uma vida (um momento só não basta): todos têm defeitos, mais ou menos, maiores ou menores. Negar essas falhas é ser obtuso, mas ver sua ruína e seu fim nelas é triste. Não é um acidente isolado que determina seu QI, sua capacidade, sua habilidade social, suas chances de sucesso. Vocês tem tantas qualidades que sobrepõem tudo de que reclamam, só eu vejo isso?
     É direito seu se sentir uma pessoa horrorosa. Mas só pra constar, você não é. Parei com a palestra motivacional. MAS É SÉRIO!  

Love yourself s2

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Bonecas

Postado por MissHachi7 às 13:42 0 comentários


   Eu tenho medo de bonecas. É sério. Não é uma fobia descontrolada, do tipo que me paralisa quando tem alguma por perto, mas eu fico seriamente incomodada na presença delas. Pra que bonecas, numa boa? Isso só faz as meninas acharem que cuidar de bebês é legal, que ter um filho é algo divertido, que assim que ele nascer vai chama-las pra brincar em oito línguas diferentes e que vai ser sempre uma coisa divertida.
   Eu sei que não é tão dramático assim, mas deixando o exagero de lado, bonecas são mesmo criaturas medonhas. Pense comigo: parecem bebês de verdade, ficam com aqueles olhões azuis arregalados o tempo todo, pedem carinho e atenção e sempre parecem estar respirando (mesmo aquelas que não são feitas pra parecer que estão respirando). Eu, pelo menos, fico muito desconfortável.
   Minha irmã mais nova tinha uma boneca que era do tamanho dela. A porcaria daquela boneca tinha olhos que brilhavam no escuro. A PORCARIA DE BONECA FICAVA ME ENCARANDO A NOITE INTEIRA!  E vivia com aqueles braços estendidos pra frente, pedindo abraço. Pedindo tapa, isso sim. Uma coisa que me matava era entrar no quarto meio com pressa e tropeçar nela. Eu quase tinha um ataque.
   Num dia de sol, coloquei a boneca na caixa de doações, ninguém sentiu falta, eu senti mais alívio do que quando você chega ao ponto exatamente na hora em que o seu ônibus está estacionando. 
   Nossa, como eu odeio bonecas. Primeiro, elas parecem realmente um incentivo meio bizarro às meninas (do tipo, você precisa saber cuidar de um bebê. Talvez precise mesmo, algum dia, mas pô, ela tem três anos de idade, dá um tempo). Segundo, bonecas
são um abismo entre meninas e meninos (e nem venham dizer que não, porque já vi pai brigar muito com o filho porque o viu brincando com as bonecas das primas). Terceiro, você já viu o filme “Chuck”?

O coração risonho

Postado por MissHachi7 às 13:26 0 comentários
Sua vida é a sua vida.
Não deixe que ela seja esmagada na fria submissão.
Esteja atento.
Existem outros caminhos.
E em algum lugar, ainda existe luz.
Pode não ser muita luz, mas ela vence a escuridão.
Esteja atento.
Os deuses vão lhe oferecer oportunidades.
Conheça-as.
Agarre- as.
Você não pode vencer a morte, mas você pode vencer a morte durante a vida, às vezes.
E quanto mais você aprender a fazer isso, mais luz vai existir.
Sua vida é a sua vida.
Conheça-a enquanto ela ainda é sua.
Você é maravilhoso, os deuses esperam para se deliciar em você.

(Charles Bukowski)

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Dona do Mundo

Postado por MissHachi7 às 22:09 0 comentários
 Esse final de semana eu pensei a respeito do que eu gostaria de mudar nos outros, então rapidamente montei uma listinha satisfatória:
  • Voz infantil em quem não é criança (conhece alguém com essa firula?);
  • Vagareza intencional de raciocínio;
  • Auto-considerar-se muito engraçado;
  • Auto-considerar-se muito inteligente;
  • Autoestima demais;
  • Pessoas anti-sociais (mas só aquelas mal-humoradas, que não respondem bom-dia e fazem careta pra quem sorri em sua direção. Idiotas);
  • Distraídos inveterados;
  • Marombas não-marombas (ficam se achando o máximo e não conseguem sequer ajudar a carregar compras);
  • "Sou simpático, sei que você me ama". VAI SE FODER.
  • Crianças mimadas;
  • Casais grudentos;
  • Pessoas rudes;
  • Hipócritas;
  • Covardes;
  • Curiosos mórbidos.

Eu sei que me encaixo em muitas categorias, mas eu não gosto mesmo de mim.

Canção de Gesta

Postado por MissHachi7 às 22:07 0 comentários
Não sirva ninguém,
Não culpe ninguém
Esperando a queda.
Moldado pela recusa, 
Este sinal significa tudo.

Não tema ninguém,
Não domine ninguém
Pois você conhece a ferida
Que retorna à juventude com a revolta.

Não pergunte a ninguém,
Não esmague ninguém
Cada sinal significa sofrimento.
Cada sinal significa assassinato, desprezo e alívio.

Esconda-se em luto - em países distantes;
Entre as mães de neve com bocas de cobra.
Esconda-se em luto - em oceanos largos;
Catorze lâminas, quatrocentos sopros.

Para estar seguro, para ser ouvido
Para ter certeza...
Eu como, e durmo,
e sei
Que vamos nos encontrar
Em um outro dia,
Em uma estrada tranquila,
Em uma costa mais segura.

Não sirva ninguém,
Não culpe ninguém
Esperando a queda.
Este sinal significa você.
Este sinal significa todos.

Morte pelo machado -
Um leito de cinzas.
Nos campos de neve.
A varinha mágica.
Do escuro ao amanhecer.
A negação recusada
Para sempre ligada.
Para um sonho frustrado.
Para memórias invisíveis.
Ácido e sol, sol e ferro.
Sinal e selo.
Sem esmola dada.
Uma negação recusada
Para sempre ligada...

(Rome)

Coisas a fazer esse ano

Postado por MissHachi7 às 21:51 0 comentários

* Passar no vestibular.
FIM.


"O importante é o principal, o resto é secundário." BRILHANTE, Gênio.

Pinguim

Postado por MissHachi7 às 21:29 0 comentários
Você consegue encontrar tempo 
Para deixar o seu amor te amar?
Ele só quer te mostrar o que ele quer aprender, também.
Vocês vão superar as partes mais difíceis
E no final, você terá um melhor amigo.

Amor assim pode vir só uma vez... é o destino.
Como uma alma gêmea, ele é seu pinguim.
Meu amor, é destino, é destino e não sorte.

Você consegue encontrar tempo 
Para deixar seu amor te abraçar?
Ele precisa de alguém para segurar, 
Seu amor é forte e tão verdadeiro;
Sua bússola está apontando para você,
E ele é quem você nasceu para amar.

Deixe passar,
Deixe chegar o tempo para você e eu,
Deixe passar.
Amor como esse é tudo que eu quero, 
Nós somos destino.
Amor como este pode vir só uma vez,
Nós somos destino.
Como uma alma gêmea, você é meu pinguim.
Meu amor, é destino.
É destino, não sorte.
(Christina Perri)

Curiosidade Amorosa

Postado por MissHachi7 às 20:11 0 comentários
 Num dos meus passeios pela internet, achei isso:

"Alan John Lee desenvolveu uma teoria chamada Estilos de Amor. Lee identificou seis tipos básicos em sua teoria. Nestes tipos as pessoas usam em suas relações interpessoais:

Eros - um amor apaixonado fundamentado e baseado na aparência física.
Psiquê - um amor "espiritual", baseado na mente e nos sentimentos eternos.
Ludus - o amor que é jogado como um jogo; amor brincalhão.
Storge - um amor afetuoso que se desenvolve lentamente, com base em similaridade.
Pragma - amor pragmático, que visualiza apenas o momento e a necessidade temporária, do agora.
Mania - amor altamente emocional, instável; o estereótipo de amor romântico ou apaixonado.
Ágape - amor altruísta; espiritual.

Os homens tendem a ser mais lúdicos e maníacos, enquanto as mulheres tendem a ser stórgicas e pragmáticas."

 Faz muito sentido pra mim. Conheço muitos maníacos lúdicos.
E muitas "pragmáticas", se é que você me entende.

domingo, 21 de abril de 2013

Seletividade da Hipocondria

Postado por MissHachi7 às 14:50 0 comentários
   Minha hipocondria está agora em níveis humanos, mas já preocupei muita gente com minhas convicções ("mas eu estou doente sim, é sério, realmente doente"). O engraçado é que em casos levemente mais sérios, eu não era hipocondriacamente (neologia, beijos) tendenciosa a crer que necessitava de ajuda ou intervenção médica.
   Eu tenho visto flashes. Não é mania de grandeza, eu sei que não são flashes de câmeras, minha conclusão é que eu estou com alguma coisa pressionando algum ponto do meu cérebro e isso está me causando alucinações. Já atormentei minha mãe pra me levar no oftalmologista e no neurologista, mas até agora nada feito...
   Por outro lado, no dia em que cortei minha perna com cacos de vidro (acidentalmente, calma, Mãe), e todo mundo ficou louco querendo me levar pra dar ponto - acho que foi porque estava muito feio mesmo, sangue escorrendo loucamente-, recusei-me peremptoriamente a ir. Isso me rendeu uma cicatriz horrorosa, porque como era grande e não foi suturado, levou muito tempo para fechar e eu ficava arrancando a casquinha - que bonito!-, e fiquei com um buraco na perna.
   Apollo mandou eu passar álcool e fazer um curativo decente, dizendo que aquilo ia gangrenar e eu ia ter que amputar a perna. Colei uns seis band-aids em cima do rombo, saí mancando like a diva e não fiz nada do que mandaram.
Minha hipocondria tem seletividade torta.

sábado, 20 de abril de 2013

RANDOM

Postado por MissHachi7 às 14:16 0 comentários
   "Amor é algo como uma ferida que ainda não cicatrizou. Pode parecer quase curado, mas qualquer sorriso, qualquer gentileza é como cutucar aquela porcariazinha. Começa tudo de novo. A gente decide que ainda ama, ainda precisa, ainda quer. E depois que passa, volta a doer." 
   Pelo menos eu acho que era isso que eu queria dizer quando gravei "amor é como sangramento", às duas da manhã.
   Não é possível. Fazer as coisas com sono não funciona.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Comentário Interessante

Postado por MissHachi7 às 14:37 0 comentários
 Um comentário que me pegou de surpresa depois que eu apresentei o blog a um amigo:


"2012 foi um ano prolixo pra você, né?", 
FURTADO, P.

 Só porque eu escrevi 123 posts, cara?
 Assim cê me magoa.
 Mas foi mesmo.
 Peixos.

Enquanto durar...

Postado por MissHachi7 às 14:11 0 comentários
   Nunca achei que eu fosse a pessoa perfeita pra você, nem que fôssemos durar pra sempre. Mas eu sabia [sempre soube] que nós dois seríamos sempre o tipo de história que, durando muito ou pouco, marca profundamente quem quer que esteja ouvindo ou vivendo; tem mais sentimento do que enredo, mais vontade de amar do que necessidade de tradução. Nós somos eternos enquanto exemplos de amor de verdade, o que tantos procuram nas infinitudes. Só encontramos nosso "para sempre" porque aceitamos que só duraria enquanto o outro respondesse  "até" quando um dissesse "até amanhã".

Reflexões pós-tinta

Postado por MissHachi7 às 14:02 0 comentários
     Um belo dia eu fui pra casa da Nady e começamos, entre uma macarronada e brigadeiros, a pintar meu cabelo de rosa-avermelhado. Demorou, tivemos [ela teve] que descolorir umas duas vezes pra ficar claro o suficiente, e afinal, pintar apenas duas mechinhas de vermelho fez MUITAS coisas ficarem coloridas (leia-se, roupas, orelhas, braços, testa, mãos, chão, cadeira, escovas...) mas foi uma delícia. A tarde foi de pura descontração e meu cabelo ficou exatamente como eu queria. (Nady, sua linda, obrigada de novo!)
   Mesmo assim, morri de medo das reações alheias. No fim, eis as minhas observações empíricas:

- as pessoas não acreditam que o que você usa pra pintar o cabelo tão intensamente é anilina para madeira;
- com essas mechas, qualquer um me reconhece de longe (droga);
- eu me sinto muito original;
- avós tem opiniões muito fortes ("seu cabelo está com cor de pena de rabo de galinha", disse Vovó); 
- algumas pessoas fecham a cara quando percebem que tenho mechas vermelhas, como se mudasse algo na minha personalidade (curioso, né?); 
- crianças me acham o máximo;
- pais me acham má influência;
- eu me acho muito original (mesmo tendo copiado a Jordin Sparks.. Desculpa, sociedade);
- meus amigos nem ligaram, alguns disseram que eu devia fazer dreads na parte colorida para ficar mais fácil ver que há diferença;
- minhas irmãs me respeitam mais agora ("ela deve estar ficando louca de vez, não vamos contrariá-la");
- minha foto 3x4 da futura carteira de motorista vai sempre me lembrar desse ato de libertação, porque dá pra ver meu lindo cabelo colorido;
- meu pai, pela primeira vez na minha vida, se ofereceu para pagar por uma intervenção capilar. ("Vai lá, pinta isso aí com a cor normal, corta, hidrata...").

Pessoas são curiosas. Até eu.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Contra o horóscopo?

Postado por MissHachi7 às 20:40 0 comentários
   Li meu horóscopo hoje de manhã e ele avisava categoricamente: NÃO TOME DECISÕES HOJE. Fiquei um pouco desconfiada, porque, para desespero do Apollo, eu ainda leio essas tretas relacionadas a signos com carinho. Mas voltando ao assunto, eu não devo tomar decisões hoje. Algo a ver com um planeta cruzando alguma outra coisa de outro astro (hum, não presto atenção a detalhes, desculpa).
   O problema é que UM MONTE de decisões calharam de se amontoar para serem tomadas hoje. E não são decisões simples, do tipo que eu poderia postergar. Preciso marcar minhas aulas na autoescola (porque logo serei uma vadia motorizada), escolher quais vestibulares prestar (porque há prazos para pagar os boletos), decidir se ligo ou não para o meu SO (significant other), mandar algumas respostas para uns e-mails pouco delicados que recebi de uma loja desconhecida... E AÍ, HORÓSCOPO?
Meu lado racional diz "ah, que besteira, o que pode dar errado?"; meu lado criativo, no entanto, tem muitas ideias para os desfechos ruins de qualquer situação. Se eu decidir tudo hoje, indo contra a sabedoria zodiacal, eis o que já aconteceu na minha cabeça vai acontecer: as aulas que eu marcar serão nos dias em que só um professor cruel aparece lá (aliás, produção, não sei se isso acontece de fato, mas na minha imaginação ele é tão cruel que até tem um corvo pousado no ombro, só pra constar), vou escolher vestibulares cujas datas, por uma infeliz coincidência, serão mudadas todas para o mesmo dia bem na última hora, e eu não poderei ir a nenhum, e então eu ligarei para o meu SO e ele finalmente terá decidido que eu o canso demais e dirá que não quer falar comigo nunca mais, e quando eu responder os e-mails com um monte de barbaridades, vou errar o endereço e mandar pra minha chefe, e serei mandada embora.
Ohhh...

terça-feira, 16 de abril de 2013

Você vai sentir minha falta

Postado por MissHachi7 às 17:57 0 comentários
Comprei um bilhete para uma viagem sem destino
Duas garrafas de uísque para o caminho
E eu com certeza gostaria de uma boa companhia...
Estou partindo amanhã. O que você me diz?

Quando eu for embora...
Quando eu for embora...
Você vai sentir minha falta quando eu for embora.
Vai sentir saudade do meu cabelo,
Vai sentir saudade em todo lugar,
Você vai sentir minha falta quando eu for embora.

Comprei um bilhete para uma viagem sem destino
Aquele com as mais belas paisagens
Tem montanhas, tem rios,
Tem vistas a dar-lhe arrepios,
Mas com certeza, seriam mais belas com você...

Eu tenho o meu bilhete para o caminho mais longo...
Meus pés não foram feitos para ficar por muito tempo...
E eu a tenho no meu braço.
Mas você vai sentir minha falta enquanto está em casa.
É para você, querido, que eu canto essa canção.

Quando eu for embora...
Quando eu for embora...
Você vai sentir minha falta quando eu for embora.
Você vai sentir saudade do meu andar,
Vai sentir saudade das minhas conversas,
E eu sei, você vai sentir minha falta quando eu for embora.

(Lulu and the Lampshades)

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Relaxe

Postado por MissHachi7 às 14:53 0 comentários
    Todos me acusando de ser recalcitrante nas reclamações sobre não ter um namorado. Olha, eu não sou muito parte da galera que clama estar "solteiro sim, sozinho nunca", porque eu sempre fui solteira sim, sozinha sim também, e não gosto dessa situação. Estado civil: forever alone.
     Mas fazendo um adendo (e até rimou), eu não fico reclamando muito sinceramente, é mais para encher o saco de quem se importa (e esse é você, Apollo, você se importa, admita). Afinal, não é modinha reclamar? Solteiros reclamando do frio, namorados reclamando do ciúme, casados reclamando de tudo?
      Por isso - sinto um aviso chegando -, não importa qual meu status, mi amor. Sempre terei algo de que reclamar, e isso infelizmente ainda me define como EU. Gostou, gostou, não gostou, come menos. Tô puta mesmo.

PS: Esse post faz eu parecer uma filha da puta arrogante e libertina? ._.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Quando você acreditar

Postado por MissHachi7 às 13:01 0 comentários

Por muitas noites nós oramos
Sem provas de que qualquer um pudesse ouvir.
Em nossos corações uma canção de esperança
Que nós mal entendíamos...
Agora não temos medo
Embora saibamos que há muito a temer.
Estávamos movendo montanha
Muito antes de saber que poderíamos.

Pode haver milagres quando você acredita
Embora a esperança seja frágil, é difícil de matar.
Quem sabe que milagres pode alcançar?
Quando você acredita, de alguma forma consegue.
Você realizará quando acreditar.

Neste tempo de medo,
Quando a oração muitas vezes se prova em vão
A esperança parece como os pássaros de verão,
Rápido demais voam para longe.
No entanto, agora estou aqui, meu coração está tão cheio que não posso explicar...
Procurando fé e falando palavras que eu nunca pensei que diria...

Mas quando você está preso a seus medos,
Não consegue ver o caminho através da chuva,
Uma voz pequena, mas ainda firme
Diz que a esperança está muito próxima...

(Celtic Woman)

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Uma revolta escapista

Postado por MissHachi7 às 17:27 0 comentários
     
Já faz três semanas, eu desisto. ISSO NÃO É VIDA. Vou embora mesmo, vou trocar meus pedaços de realidade por sonhos inteiros. Apesar de não haver mais lágrimas pra verter, estou mais do que absorta na minha tristeza. A quem quer que isso esteja se dirigindo, fui pra outro mundo. Não existo mais por aqui. Minha vontade era de ficar por um bom tempo, mas não há tempo bom por essas bandas. Nem tente me procurar, eu já estou de volta sob os cobertores ouvindo música. 

Um pouco de autoestima

Postado por MissHachi7 às 13:17 0 comentários
      Não há no mundo falta de sorte suficiente para me convencer de que devo desistir de buscar o que me faz feliz, nem desencorajadores bastantes para que eu me aborreça na insistência.
    Às vezes eu acordo crendo muito na minha capacidade de encontrar a graça certa em viver, e preciso aproveitar esses picos da existência para reafirmar, apesar da minha perturbadora falta de fibra, meu "poder fazer" um pouco mais do que eu tenho feito.
    Não há no mundo o que me force a abandonar meus amores, meus amigos, meus devaneios e minhas reflexões. Eu reconheço minha inconstância e minhas faltas para com todos eles, mas gostaria de que se lembrassem do fato de eu nunca haver permitido que alguém chegasse próximo demais a ponto de feri-los. Ou continuo perto o suficiente para reparar o que foi causado apesar de mim.
     Até que não sou completamente desprezível.
     

Consciência

Postado por MissHachi7 às 13:12 0 comentários
      Não me foi incômodo esperar todos esses anos (pois anos não são nada para aquele que confia na chegada do seu destino e sabe da eternidade da alma).
     Minha personalidade não se alterou apesar de todas as palavras rudes que já me foram dirigidas (pois aquele que reconhece sua essência consegue mantê-la firme mesmo com o que vem de fora e todo conhecimento de si significa poder sobre si).
     Sua chegada me fez reconsiderar grande parte dos meus valores (afinal quando o amor aparece as luzes se acendem e as dúvidas também, antes da calma rósea que acompanha o cumprimento de um dever secular, e quem não progride vai contra uma lei divina).
     Eu sabia que seria você (pois a sintonia do pensamento que nos liga uns aos outros garante a aproximação dos corações afins).
     Você é meu darma.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Descrição

Postado por MissHachi7 às 15:41 0 comentários
Quando você fala comigo
meu mundo canta.
Seu sorriso me incomoda de um lado
e me alivia de todos os outros.

Nenhuma outra presença consegue
me confortar tanto
me acolher tanto
me desarmar tanto
e me convencer tanto.
Você sabe que faz isso.

Eu morro de medo.

Assim que você vai embora eu me assusto
com o quanto você me faz
saudade
e com o quanto você me atinge
muito com suas palavras
mais ainda com seus silêncios cheios de agonia.

Nunca sei dizer
exatamente
quanto tempo passamos juntos.

Alguns instantes são eternos
E algumas horas passam
em poucos momentos.

É embriagante.

Estar perto de alguém
por quem se sente tanto
é constrangedor e delicioso.

Estar longe de alguém
por quem se sente tanto
é expectativa e demora.

Com você na minha vida
tenho oscilado meu estado mental
entre "morrendo de saudade"
[a semana toda]
e "morrendo de alegria"
[às quintas],
quero viver morrendo de você.
Enquanto houver o que matar.

Só porque sou obediente.

Postado por MissHachi7 às 15:29 1 comentários
        Seu nome significa "príncipe da paz" e eu sei que você personifica a negação disso. Não que seja dado a balbúrdias (talvez seja, foda-se), mas com certeza não é do tipo que precipita-se facilmente no tédio [falsamente] associado à paz. É um inferno que anda. Você sabe que não digo isso num sentido pejorativo. Você força mudanças, estraga hábitos e desgraça silêncios. Mas isso é legal, às vezes. Só às vezes, não pense que é elogio ou incentivo.
     "É lindo, moreno e cheiroso", em suas próprias palavras. Nas minhas, é mais ou menos. Não gostava de você nem um pouco, mas a convivência ensina a não querer matar. O resto é simpatia e falta de paciência, um misto meio desproporcional mas que tem rendido bem. Eu morro de ciúme e você também, então é até equilibrado.
     Enfim, eis aqui meu retrato de você, manolo. Reclamações serão solenemente ignoradas. Peixos.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Lições

Postado por MissHachi7 às 14:46 0 comentários
     Então eu aprendi duas coisas com a semana infernal que passei: declarar amor, declarar guerra: ambos causam repercussões hediondas e arrependimento imediato. Mesmo que haja amor ou desejo de combater. É só que ninguém prevê direito, por mais que tenha analisado (ou, no meu caso, inventado) dados estatísticos, os caminhos percorridos pelos acontecimentos a partir da declaração.
     Quer dizer, não importa o quanto você pense conhecer a pessoa em questão: NÃO TEM COMO prever reações. Você espera risadas, vêm lágrimas. Espera gritos, vêm abraços. Espera luta justa, vêm golpes baixos. E foda-se.
     Não existem padrões em que se basear. Você quer, busca, deseja, procura, imagina, vislumbra uma lógica numa situação e quando tenta aplicá-la em caso semelhante, vê que na realidade é impossível "viver a limpo". É sempre rascunho. Tudo, em questão de relacionamentos interpessoais, é a primeira vez. Então todos os momentos são surpreendentes. "Já falamos sobre isso antes", "É, mas foi diferente.". 
      Eu te amo. Eu te odeio. E foda-se.

 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review