quinta-feira, 30 de maio de 2013

Dieta

Postado por MissHachi7 às 19:42 0 comentários



Até que estou bem.
Não fui bruta com ninguém.
Não comi chocolate.
Não tomei sorvete.
Estou indo muito bem, sim.
Fora meu humor, que não.
Afinal, estou com fome.
E com saudade.
Saudade de comer besteiras.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Espelhos

Postado por MissHachi7 às 19:48 0 comentários
Não é que você é de se admirar?
Porque seu brilho é como um espelho,
E eu não posso deixar de notar
Você reflete neste meu coração...
Caso você se sinta sozinha,
E o brilho tornar difícil me encontrar,
Apenas saiba que eu sempre estou
Paralelo do outro lado.

Pois com sua mão na minha mão
E um bolso cheio de alma,
Eu posso lhe dizer: não há lugar a que não possamos ir.
Basta colocar sua mão no espelho
Eu estou aqui tentando te puxar,
Você só tem que ser forte...

Porque não quero perder você agora
Estou olhando direto para a outra metade de mim.
A vaga que tinha no meu coração
É um espaço que agora é seu.
Mostre-me como lutar agora...
E eu te direi, foi fácil voltar para você,
Uma vez que eu descobri que
Você estava aqui o tempo todo.
É como se você fosse meu espelho
Meu espelho me encarando...
Eu não poderia ficar mais orgulhoso
Com qualquer outra pessoa ao meu lado.
E agora está claro como essa promessa
Que estamos tornando dois reflexos em um,
Porque é como se você fosse meu espelho.
Não é que você é algo original?
Porque não parece servir de comparação...
E não posso deixar de olhar porque
Eu vejo a verdade em algum lugar de seus olhos.
Eu nunca poderia mudar sozinho.
Você me reflete, amo isso em você
E se eu pudesse,
Iria olhar para nós o tempo todo.

O ontem é história...
O amanhã é um mistério...
Posso te ver olhando de volta para mim,
Mantenha seus olhos em mim,
Mantenha seus olhos em mim...

(Justin Timberlake)

Todo mundo vai

Postado por MissHachi7 às 17:41 0 comentários
   Parece uma conclusão óbvia, mas se você parar pra pensar com carinho, não é. Todo mundo vai embora um dia, e mesmo assim teimamos em nos apegar, em gostar de quem chega, querer que fique, achar que vai ficar mesmo. 
   No começo do ano a minha melhor amiga, que se mudou pra Botucatu (também conhecido como "muito longe") pra fazer Medicina. 
   Nós éramos extremamente unidas, o dia todo coladas uma na outra, conversas, estudos, abraços. 
Conversar seriedades arrumando os óculos, tentando não rir. Deitar sob o aparelho de ar condicionado sem poder dormir. Discutir amenidades pra rir fácil. Contar sobre o que acontecia nas poucas horas em que não estávamos juntas. Ouvir músicas boas muitas vezes até tomar raiva. Reclamar do quanto pessoas são impossíveis. Conformar, porque também somos pessoas. O ruim da saudade é que ela começa quando a pessoa vai pra longe, mas não acaba quando a gente se vê.
   Eu achava que já tinha sentido saudade. Essa foi, no entanto, a primeira separação real por que eu já passei. Quer dizer, a mais terrivelmente significativa, a pior.
   Esse mês foi outro. Mal chegou, vai. O mané.
   Deixa saudade porque tem pessoa que ocupa espaço demais, folga demais, e quando sai, fica tudo vazio, silencioso... Voltei a ser a única que reclama, que come demais. Nossa, agora que estou pensando, não vou ter com quem competir quem come mais. Droga. Agora a cadeira boa da biblioteca é só minha, mas nem quero muito sentar lá. Sem ser motivo de discussão, não tem graça. 
   E eu estava chorando, triste do fundo do coração depois de pensar demais nessas coisas. A Rose veio falar comigo. É assim mesmo. Todo mundo vai. Não tem motivo pra ficar triste.
   As pessoas vêm, bagunçam a gente, fazem festa, colorem alguns dias e simplesmente vão fazer isso em outro lugar, porque é como dá pra fazer mais gente feliz pelo menos um pouco. Conhecendo quem seja assim. Sendo assim.
   Não estou me conformando com o fato de eles não ficarem mais por perto. Estou reconhecendo a normalidade de eles estarem longe. Eu perdoo vocês, seus malas.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Desculpas públicas

Postado por MissHachi7 às 17:17 0 comentários

   É engraçado mandar mensagens quando se está com sono, porque no dia seguinte você lê o que mandou e quer se esconder. Claro que "você" sou eu. 
   Acordei e vi que havia recebido uma resposta muito mal educada no celular. Aí quis me sentir ofendida, mas fui analisar melhor o que causou tamanho ataque de mordacidade e embasbaquei-me com o que eu tinha falado antes. Até que ele nem foi tão mal educado assim. Ainda mais comparado com o que eu havia mandado...
   Então, se você estiver lendo isso, desculpa, não fui eu, foi o sono.

PS: eu sei que é só uma desculpa escrota pra minha falta de educação, mano, mas veja bem, você me causa dor no pâncreas.

sábado, 25 de maio de 2013

Diferentes, amém

Postado por MissHachi7 às 23:17 0 comentários


Não é só pra mim. 
Na verdade, quanto mais pessoas eu conheço, mais me convenço de que somos mais ou menos o mesmo amontoado de sentimentos, medos, crenças e esperanças. 
A diferença reside num recôncavo da personalidade que determina se vamos ser explícitos quanto a tudo isso ou se vamos disfarçar, camuflar, lidar com, moldar, fingir que não.
Daí quando se abre com alguém completamente diferente de você, acaba descobrindo que ele se sentia da mesma forma, mas lidava diferente com isso. 
E também achava que era o único...
E não estamos sozinhos.
Estamos diferentes.
Amém.

Presente

Postado por MissHachi7 às 21:47 0 comentários
   Viver no presente é difícil.
   Quando insistimos em ir contra a condição natural (viver o agora agora porque estamos aqui) e nos prendemos ao que já se misturou às águas de abril - [fui longe]-, sentimos em algum momento que não está tudo bem. O que passou deve ser usado como lição, não como flashback contínuo. Nostalgia é bom, de vez em quando. Mas viver em função dos bons tempos que não voltam mais é desperdício da oportunidade que temos de tornar o futuro um lugar igualmente confortável.
   Se persistimos na ilusão de um amanhã brilhante sem nos atermos aos trabalhos necessários do presente, estaremos deixando passar as chances que nos são dadas para evoluirmos. É tentadora a ideia de ignorarmos os tédios e aborrecimentos eventuais do dia-a-dia sonhando com dias melhores. Mas é simplesmente delírio, se não nos esforçamos no momento de ação para que esses dias tornem-se realidade.
   Por isso é tão complicado viver o momento.  
  Carpe diem, carpe noctem
   Como, se o ontem foi tão lindo (tão infeliz, tão traumático, tão difícil, tão), e se o amanhã me traz tanta esperança (tanta ameaça, tanta bagunça, tanta)? 

"Embora não possamos voltar no tempo e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim." - Chico Xavier
  
Ansiedade é medo do futuro. Saudosismo é descrença.

Saudade

Postado por MissHachi7 às 20:15 0 comentários
Às vezes
você está
tão longe
que eu sinto
que
nem
existo.

Repreende, senhor

Postado por MissHachi7 às 11:23 0 comentários
   Eu quero cantar... Nessa casa que estamos morando agora nenhum vizinho teve o prazer de ouvir minha bela voz ainda. Mamãe recomendou que eu esperasse haver alguma simpatia prévia pelo menos para que dessa vez não chamassem a polícia quando eu começasse o show da meia noite no chuveiro. Não sei por que tanto drama, afinal eu só canto músicas boas. 
   Alguns raps italianos, metal alemão (o que nunca soa bem na minha voz... mas o que importa é o conteúdo!), pops inocentes e, em momentos de fraqueza, Sandy e Junior.
   É, desculpa, sociedade, eu choro cantando Sandy e Junior. 
   Eu sei que atrapalho meus irmãos, mas eles são meus irmãos, e como sou a mais velha, estou apenas fazendo meu serviço oficial de incomodá-los. No fim, eles me infernizam muito mais com uns arrochas violentos e sertanejos nojentinhos do que eu. Mas quando eu começo a cantar Wanessa Camargo eles decretam ataque de cócegas pra eu ficar sem ar e não conseguir. 
  Fora os momentos em que eu canto as musiquinhas mnemônicas, que eu realmente adoro! Nem tanto pela matéria, que geralmente é bem simples, mas tem umas muito legais de biologia... "Com a TAAAXONOMIA clas-si-fi-cos-se-res-vi-vos e estudo BIOLOGIA!". E de química... "Vamo ligar, delícia, vamo ligar... metal com ametal a ligação é iônicá!". E de geografia... E de.
   Talvez eu precise de uma reeducação cultural...
   Talvez eu deva mesmo ser repreendida por autoridades pelo meu mau gosto.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Vingança

Postado por MissHachi7 às 17:46 0 comentários

"A vingança é um sentimento inteligente em mãos burras e desgovernadas". - Fabrício Carpinejar

   Toda vez. Olho para um porta-retratos e sinto meu pâncreas se contorcer. Meio que me arrependo de ter tirado fotos ao lado dele. Faz com que eu me sinta ainda mais traída. Temos sorrisos eternizados em papel, mas, no momento, acho que só pensamos nos momentos infernais que passamos juntos. Essa foto tem me dado náusea. Acabo pensando nas fotos que eles vão tirar nessas férias. 
   Ele foi embora há tão pouco tempo que a maior parte das roupas dele ainda está no guarda-roupa. Ainda estou meio em choque com o fato dele ter ido. Geralmente, quando estou frustrada, desabafo com ele! E agora? Engraçado. Não foi inesperado, mas também não achei que viria tão rápido. Ingênuo da minha parte. Quando uma mulher mais magra, mais simpática e mais jovem está no páreo, não é provável que homem algum espere muito. Bom, eu tinha alguma fé. Ou sou mesmo estúpida. Aceito os rótulos.
   Apesar de ser minha culpa (sim, porque tudo o que acontece num relacionamento é responsabilidade dos dois, meio a meio), eu não consigo só assumir a minha parte calmamente. À medida que a perplexidade está passando, vem vindo outro sentimento: raiva. Como ele ousa? Eu não sou tão bonita, nem tão gostosa, mas eu o conheço como ninguém! Eu o amo apesar de todas as falhas de caráter [que não são poucas], apesar de todo o tempo que já passou desde que nos conhecemos. 
   Isso faz sentido? Eu o amo tanto que preciso vê-lo arrependido por pisar nesse sentimento tão importante, tão lindo, tão grande. Idiota.
   Aposto que ele deixou alguns documentos aqui em casa. Se eu puser fogo em todo aquele lixo, será que vou presa? Não quero ir para a cadeia por causa dele. Como me vingar num nível não-criminoso? 
   Já sei.
   Pego o telefone. Uma mentirinha não vai matá-lo, e ainda me dará o prazer de arruinar sua viagem. Disco seu número, já rindo por dentro. Queria estar lá para ver a cara dele. Adeus, férias divertidas e lindas com amante filha da puta.
   - Alô? Roberto? Adivinhe. Estou grávida.
   Ouço a gagueira do outro lado e me sinto a pessoa mais malvada e brilhante da Terra. Mas espera, a náusea voltou. Preciso desligar e corro para o banheiro. Ah, não.

terça-feira, 21 de maio de 2013

De fato.

Postado por MissHachi7 às 17:43 0 comentários

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Leni, sua linda!

Postado por MissHachi7 às 17:55 0 comentários
   O aniversário do amor da minha vida foi há alguns dias e eu me senti muito indecente por não ter mandado uma carta. Francamente, foi a primeira vez, desde quando nos conhecemos, que deixei passar uma data especial sem palavras especiais. Com medo de isso fazer parecer que meu amor diminuiu com a distância, vim por meio desta dizer de novo: meu amor não diminui, nem com distância, nem com tempo. É como nossa voracidade por chocolate, só aumenta.
   O choque de trocar nossas doze horas/dia para alguns minutos/semana me abalou, com certeza. Mas eu acabei percebendo que não mudou em nada a forma como me sinto, afinal ainda penso em você grande parte do tempo, e sempre que algo muito incrível acontece, eu desejo do fundo do coração que você estivesse aqui. Meu egoísmo sempre fala alto, eu sei. Fico feliz por você estar aí realizando sonhos e lutando pra fazer dar certo...
   Enfim, eu quero mesmo é te contar que você ficar mais velha só te torna mais sensual, sua ruiva, e que o tempo te faz bem ("melhor estar descendo a montanha do que estar enterrado debaixo dela"), e que logo eu te alcanço, e que você é uma fofa, e que eu te amo, e que. Você sabe. É mais do que muito. 
   Ainda bem que a gente tem a gente.
   Feliz Aniversário atrasado.

PS: não conte quantos "que" eu escrevi, meu queísmo tem andado violento.

Viajando

Postado por MissHachi7 às 17:44 0 comentários
   Eu estava filosofando raso em busca de inspiração, e lembrei-me de uma conversa que eu tive com o Zé. Estávamos falando de músicas que nos dão aquela vontade inflamada de sair pelo mundo sendo feliz.
   E acontece que eu me descobri sentindo vontade de ter essa vontade. Há tempos não tenho essa ilusão de poder ser livre. Meio besta isso de querer ser iludida. Mas acontece: saber que não posso é tão real e constante... Esse sopro de desejo me reanimaria, eu sei.
   Algumas músicas fazem surgir em mim um tesão inconsequente de ir embora. Ir mesmo, pra qualqur lugar bem distante de tudo e todos que conheço. Poder viver a partir do zero, com trilha sonora, ânimo de filme de aventura, vento nos cabelos, sol laranja, animais de estimação e a obrigação única de ser feliz e fazer quem está perto feliz, também. Cheia de graça, basicamente. 
   Então, além de um desabafo, eis uma sugestão: busque, encontre uma canção que te permita essa viagem. Essa sensação muito linda de que você pode ir aonde quiser, rir do que o oprime, abandonar quem o magoa, abraçar quem ama, dançar sem vergonha, sonhar sem medo, ser quem é. E espero que quando a música acabar, reste o sabor de ter sido iluminado com a verdadeira liberdade por alguns minutos...

Sozinha

Postado por MissHachi7 às 17:33 0 comentários
Colegas, amigos. Sei.
Sol brilhante do lado de fora,
Milhares com você, querendo ou não.
Venha correndo com um problema, agora
Conhecerá o denotativo da solidão.

Esteja no alto, ouro na palma,
Milhares com você, querendo ou não.
Descubra, contudo, um tumor na alma
Saiba como é se sentir só, na multidão.

Avance em viver, um passo certo
Milhares com você, querendo ou não.
Experimente buscar sinceridade por perto
É o sabor do vazio no seu coração.

Felicidade sorri com cores brilhantes,
Milhares com você, querendo ou não.
A luz se apaga num determinado instante,
Está sem ninguém, na escuridão.
Colegas, amigos. Sei.

Socorro

Postado por MissHachi7 às 17:22 0 comentários
Eu quero pensar diferente.
Não aguento mais os mesmos pensamentos.
A mesma droga chorosa de sempre.
A culpa é minha, mas preciso de ajuda.
Preciso sintonizar em frequências diferentes.
Urgentemente.
Tenho me sentido presa numa caixa de espelhos. Olho para todos os lados e só vejo a mesma imagem.
Não consigo mudar de rota.
Tento buscar ideias diferentes, mas qualquer coisa é levada para o rumo fatal: o meu.
Está se tornando uma característica, ser lamurienta, ser reclamona.
É o que estou fazendo agora.
O problema é que eu não me sinto assim.
Honestamente, tenho me assustado bastante com as impressões alheias a respeito da minha pessoa.
Tanto de quem me conhece pessoalmente quanto de quem lê o blog.
É como se eu pensasse de um jeito e agisse [e escrevesse] de outro.
O retrato que eu tenho de mim é bem diferente do que as pessoas têm.
Eu não sou rabugenta, mas talvez eu esteja assim.
Espero que sim.
Ardentemente.
Então quero mudar o que eu penso, para mudar o que eu projeto para os outros.
Mesmo que não melhore nada. Eu quero diferença.
Não suporto ser "depressiva", mas se o que tem passado na minha cabeça é o quanto eu sou uma droga em tudo, como ser hipócrita a ponto de dizer que vai dar certo?
Só ser escritora de fato e mentir.
Não é ser hipócrita.
Como vomitar arco-íris entre palavras, se só tenho recebido algumas em preto-e-branco?
Como oferecer o que não possuo? Não sou tão criativa assim.
Sou?
Quando eu encontro paz, o que fazer para que ela fique?
Se eu não consigo ser o lugar, Carpinejar, preciso de um lugar que me permita ser feliz.
O que eu quero mesmo é paz interior para poder escrever sobre tudo, sem acabar arruinando tudo com a minha amargura.
Socorro.

Adocica

Postado por MissHachi7 às 16:24 0 comentários


   Estava eu num dia amargo. Sentada, sozinha, na biblioteca, estudando matemática (o que explica parte da amargura) e remoendo umas tristezas, uns fracassos, umas dessas manchas na alma que não saem fácil.
   Quando estou em poços psicológicos sem fundo como nessa ocasião, acho que emito uma frequência meio assustadora para as pessoas não se aproximarem para contato amigável. Às vezes, no entanto, há quem não seja afetado pelo meu mau humor, e acabe trazendo luz quando eu menos espero.
   No dia em questão, acabaram adoçando minha vida. Literalmente.
   Não sei se foi a glicose em si, se foi o gesto, se foi o gesto que trouxe a glicose, se foi a atenção, se foram as palavras que me fizeram refletir melhor sobre o que ainda há de bom nos meus pensamentos.
   Gabriela e Leonardo, seus lindos. Obrigada por não terem me deixado só, triste e louca. Obrigada pelo Fini! Estou feliz até agora. Muitas gordices pra nós!

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Masoquistas

Postado por MissHachi7 às 13:18 0 comentários
   Aquelas pessoas masoquistas.
  Ah, não apenas as que são, assumidamente, mas também as que se assustam com o termo e repudiam-no.
   As que sofrem e gostam.
   Todas aquelas que sentem o sofrimento com a ponta da língua, pra degustar melhor.
   As que sentem prazer em falar do sofrer nosso de cada dia. 
   Então, quase todas elas.
   Ah, masoquistas.
   Juro que sei como se sentem. (Como nos sentimos?)
   Sei exatamente seus motivos e suas justificativas.
   Sei o que dizem a seu respeito e sei o que pensam sobre os outros.
   Sei tudo.
   Mas relaxem.
   Não vou contar pra ninguém.

Felicidade

Postado por MissHachi7 às 13:05 0 comentários
    O fato é que a felicidade não mora em lugar algum. Ela é uma nômade. Assim, quando se encontra uma situação em que se sente feliz, não adianta baixar acampamento nela. A felicidade pode até ter estado ali quando você chegou, mas com certeza não iria ficar para sempre.
   Estou dizendo isso porque reparo que algumas pessoas ficam magoadas com relacionamentos que não dão certo, dizendo que se enganaram achando que tudo ia ficar bem, e tinham encontrado o lugar e a pessoa com que seriam felizes. Bom, sou da teoria de que encontraram mesmo.
   Isso não significa, no entanto, que o que as faz felizes fosse continuar nos mesmos moldes de sempre, para sempre. Constantemente rearranjamos conceitos, desejos, parâmetros, e isso acaba colocando nossa sensação de plenitude em lugares distintos, de tempos em tempos. É injusto com o passado dizer que todas as escolhas e todas as pessoas foram erros.
  Foram felicidades que vieram, ficaram um pouco, e foram embora.
   Foram acertos, mas acertos que não foram eternos. Aliás, o que é?

terça-feira, 14 de maio de 2013

Ciúme de Travesseiro

Postado por MissHachi7 às 13:30 0 comentários
   Minha mãe detesta meu travesseiro velho. Ele é realmente um ancião. Tem buracos, manchas, é todo deformado, de tanto ir para a máquina de lavar roupas. Mas é cheiroso, macio, e eu meio que me identifico com ele. Enfim, dormir sempre foi confortável e simples. Até que mamãe me deu um travesseiro novo. Branco, meio estéril, meio seco, do tipo que não cativa seu coração nem à primeira vista, nem à segunda.
     Mas foi uma decisão espontânea (da minha mãe): ele iria ficar comigo. E eu devia abandonar o antigo, deixar ele ir pra caixa de madeira ou pro lixo. Como eu poderia? Meu bom e velho travesseiro esteve comigo nos sonhos mais loucos, nos pesadelos mais bizarros, enquanto estive doentinha e quando meus amigos dormiram em casa. Não, não permitiria que ele fosse tratado como um despojo qualquer. Mas também não podia ignorar o travesseiro novo, coitado, que não tem culpa de ter chegado depois. Nada impedia que eu criasse boas lembranças com ele, também...
Pra resumir, levei o travesseiro novo pro aconchego da minha cama. Uso pra por os pés. O velho continua perfeitamente onde estava. Evito gerar ciúmes, adoro conciliar.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Tempo de um café

Postado por MissHachi7 às 18:01 0 comentários
   Na vida, poucos momentos são tão repletos de ação corporal e paz de espírito quanto suas visitas. Ele nunca fica muito - meia hora, quarenta minutos, no máximo -, mas parece ser suficiente. Acho que é o tempo certo para quem ama mais do que faria sentido amar. Menos, e ele se esqueceria de mim. Mais, e se cansaria. 
O tempo de um café, algumas palavras e amor (meia hora) é o que torna nosso "amar" tão intenso. Pode chamar de eterno.

sábado, 11 de maio de 2013

Segue atrás da treva

Postado por MissHachi7 às 13:13 0 comentários
Segue atrás da treva
Rumo a escuridão
Meus demônios todos
Te esperando estão 

Só depois da treva
Hás de levantar
Encontrar na treva
Teu lar 

Segue atrás da treva
Viva o teu pavor
E no fundo escuro
Deve existir dor 

Vive o pesadelo
Para compreender
Que na treva existe um
Porquê

Algo em nós
Algo a mais
Longo e sem pudor
Tantos nós 

Nunca mais
Nunca sem amor
Vamos lá
Já não há
Nada pra impedir 

Somos dois
E o depois
Vem para nos sorrir

Segue atrás da treva
Recitando o mar
Toma um sol de chumbo
Faz seu carnaval 

E ao chegar no sono, no mundo
Haverá o amor 

Eu já vi nas trevas
Eu já vi nas trevas
Luz bate nas trevas
O amor
O amor 

(A Família Addams - O Musical)

Tudo certo

Postado por MissHachi7 às 12:57 0 comentários
   E ficaram sentados ali, no chão, um encarando o outro, meio sem saber o que dizer, meio sabendo mas não querendo dizer. Enfim, ela decidiu acabar com aquele silêncio desconfortável.
   - Você sabe que não podemos simplesmente decidir que vai dar tudo certo. - arriscou, sorrindo com medo da reação dele. - Não posso prometer que vai ficar tudo bem. E é isso que você quer que eu faça, né?
   - É. - ele não sorria, olhando em seus olhos com mais determinação do que qualquer outra pessoa jamais houvera olhado antes. - Se você disser, vai ficar. 
   Ele não estava dizendo aquilo com muita convicção, apesar de sentir em algum lugar do seu coração que era verdade. As coisas andavam tão ruins que a salvação parecia uma luz no fim do túnel. E, sabemos, luzes em fins de túneis sempre podem ser trens vindo atropelar esperançosos incautos. Então ele confiava que tudo daria certo se ela quisesse, se ela prometesse. Mas a promessa podia ser o trem que atropelaria os dois. Qualquer coisa era melhor do que deixar tudo como estava, sem rumo, sem clímax, sem certeza, mas sem dúvida.
   - Vamos, me atropela! - ele disse, exasperado, externando apenas a conclusão dos seus pensamentos caóticos e agarrando-se a única pessoa que mudaria seu estado de espírito.
  - Vai ficar tudo bem. - ela suspirou, abraçando-o. E sentiu que seu abraço foi o atropelamento que ele tanto temia e esperava, e sentiu que ele relaxava, e sentiu que mesmo que não ficasse tudo bem, ficaria tudo certo.

Mais que a mim

Postado por MissHachi7 às 12:40 0 comentários
Ouvi dizer que você tá bem,
Que já tem um outro alguém.
Encontrei moedas pelo chão...
Mas não vi ninguém pra me abraçar, me dar a mão..

Eu chorei sem disfarçar
Quando vi seu carro passar.
Vi todo amor que em mim ainda não passou...
Eu já não sei bem aonde vou, mas agora eu vou.

Tentei falar mas você não soube ouvir, tente admitir
Tentei voltar e pude ver o quanto errei -
Te amei mais que a mim!
Ah, bem mais que a mim, mais que a mim...

(Ana Carolina)

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Oximorando

Postado por MissHachi7 às 14:39 0 comentários

Eu me enganei quando disse que poderia viver com você. Afinal, como eu poderia saber que éramos tão diferentes?
Algumas coisas se ajeitam com o tempo, sim.
Outras, no entanto, serão sempre um entrave desgraçadamente grande para um relacionamento tão frágil quanto o nosso.
Nenhum de nós está disposto a se sacrificar por algo tão incerto, nenhum de nós realmente quer investir aqui.
E se já sabemos disso, pra que arriscar sermos infelizes juntos?
Por que arriscar sermos felizes?
Por que tentar?
Quem nunca tenta, nunca fracassa. Concorda?
É melhor não começarmos pra não acabarmos mal.
E quando o maldito "e se?" começar a infernizar nossas vidas miseráveis, vamos rebater com um honesto e firme "foda-se", porque se não houve amor pra tentar, o mínimo que podemos fazer é ter a decência de fingir que não nos importamos nem um pouco.
Vamos logo, comece a me contradizer.
Diga que podemos sim combinar ainda mais do que já combinamos, argumente a favor do nós, não deixa minha teimosia matar isso antes mesmo de começar.
Vamos, reaja.
Por favor! Por favor! 

quinta-feira, 9 de maio de 2013

De qualquer forma...

Postado por MissHachi7 às 21:24 0 comentários
Somos uma dupla interessante.
Apesar de eu adorar dor e você detestar.
Apesar de você rir de mim e eu detestar.
Apesar de eu ouvir RAP e você detestar.
Apesar de você morar longe pra caralho.
Apesar das minhas reclamações.
Apesar das suas frescuras.
Apesar da falta preocupante de hematomas.
Acho que somos bem certos um pro outro.
Ou muito errados.
E dos dois jeitos, tá bom pra mim.


PS: imagem conflitando com o texto, eu sei. Foda-se.

Sem conflito

Postado por MissHachi7 às 21:16 0 comentários
Sabe uma coisa que me irrita pra caralho? Não?
Quer saber o que me irrita desse tanto? NÃO?
Oquei.

 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review