sexta-feira, 26 de julho de 2013

Feliz

Postado por MissHachi7 às 10:55 0 comentários
Felicidade come rimas.
Some com coerências.
Mata a poesia de nexos.

Escreve-se algo enquanto se está embriagado de tanta alegria e exclamam ao ler: "como assim?".
Como assim?
Como...
Assim.

Como se para ser feliz precisasse fazer sentido.
Todos os sentidos estão convergindo, assim.

Como se para morrer de pura felicidade precisasse explicar a vida toda.
Às vezes não tem explicação, assim.

Felicidade come palavras.
Fica sentimento, só.

sábado, 20 de julho de 2013

Motivos

Postado por MissHachi7 às 18:48 0 comentários
" Marcelo,
   espero que você esteja bem. Espero que não me odeie tanto. E continuo esperando. Entendo perfeitamente que você não atenda o telefone, não responda mensagens e ignore quando bato à sua porta. Mas se você chegou até aqui, por favor, continue lendo. Antes de mais nada, não vou pedir desculpas. Isso fica para quando (e se) as coisas voltarem ao normal. Eu queria te explicar por que acredito que nascemos um para o outro. 

- você é inteligente, carinhoso, engraçado, e mesmo assim conseguiu ultrapassar a espessa barreira do meu karma e chegar até minha vida;
- não que eu esteja cobrando, mas você disse que ia me amar PARA SEMPRE, NÃO IMPORTA O QUE ACONTEÇA [sic];
- eu não quis te magoar falando a verdade, eu queria que tivéssemos um relacionamento baseado na sinceridade mútua (como eu saberia que você só gostava de mim por pensar que era o contrário? Não sei ler pensamento);
- eu fui honesta quando disse que te amava, e te apoiava, e acreditava em você;
- eu sei que quando estamos juntos o tempo passa mais rápido pra nós dois, porque vivemos atrasados para jantares e filmes, de tanto nos distrairmos conversando e rindo na cama;
- você disse que eu conseguia te fazer acreditar no próprio potencial;
- você me convence, sempre que sorri para mim, de que sou mais do que penso ser;
- quando você toca violão e diz que a canção é para mim, eu tenho a impressão de que tomei um copo inteiro de vodka de uma vez [queimo por dentro, você sabe a sensação];
- conhecemos a família um do outro e não matamos ninguém;
- somos diferentes mas nos compreendemos apesar disso;
- a única forma de um dia ruim mudar de rumo é ter seu abraço no caminho;
- estou com seus DVDs de Supernatural;
- temos o Boni para criar, você sabe que gatos parecem independentes mas precisam de amor.

   Por favor, considere atender o telefone, a gente supera essa barra se estiver um com o outro. 
Anita"

                                       

Lugar errado

Postado por MissHachi7 às 17:28 2 comentários
- Você não devia me afundar em tanta honestidade, seu mala! Por que não diz que vai ficar tudo bem?
- Porque não tem como eu saber se vai mesmo!
- Mente pra mim, fazendo favor?
- Se sou seu amigo, por que eu mentiria? A tendência é que não dê certo, você sabe muito bem.
- Como?
- Você me ouviu. Quando começa assim, é ladeira acima.
- Ladeira abaixo, você quer dizer?
- Eu sei o que quero dizer. Não acho que vá ficar tudo bem. Você estragou tudo com seu medo excessivo e falta de atenção.
- Não diga isso. Não foi minha culpa. Como eu saberia que ia dar nisso?
- Devia saber, devia ter pensado melhor. Planejado. Levado a sério. Foi estupidez da sua parte.
- Que absurdo! Você acha que é meu amigo? Por que diz essas coisas horríveis?
- Você pediu minha opinião, não? Estou sendo sincero. Não sei se vai conseguir consertar a tempo.
- Você só está piorando.
- Bom, você não pediu paz interior.
- Se eu pedisse, você teria aí?
- Não, eu diria para procurar em algum outro lugar. Encarar a verdade faz mais sentido, sabe.
- Pode engolir essas suas verdades. Estou indo embora.
- Se você queria alguém pra te animar, por que veio falar comigo, a propósito?

quarta-feira, 17 de julho de 2013

HAIKAI 21

Postado por MissHachi7 às 01:30 0 comentários
Viver não é fácil,
Mas antes longa e interessante
Que tediosa em tempo hábil.

terça-feira, 16 de julho de 2013

Gota no oceano

Postado por MissHachi7 às 22:54 0 comentários
Uma gota no oceano,
uma mudança no clima...

Eu estava rezando
para que você e eu
pudéssemos acabar juntos...

É como desejar chuva
enquanto estou no deserto.

Mas eu estou segurando você
mais perto do que nunca,
porque você é meu céu.

Eu não quero
desperdiçar o fim de semana...

Se você não me ama,
finja
algumas horas mais
e então é hora de ir...

Conforme o meu trem segue
pela costa leste,
pergunto-me como
você vai se manter aquecido...

É tarde demais para chorar,
Mágoa demais para seguir em frente.

Ainda não posso deixá-lo ser.

Na maioria das noites eu mal durmo.

Não tome o que você não precisa 
de mim!

Confiança mal depositada
e velhos amigos...

Nunca contando remorsos,
pela graça de Deus,
eu não descanso nem um pouco.

O céu não parece estar mais tão longe...

(Ron Pope)

Consciência

Postado por MissHachi7 às 22:06 0 comentários
Minha consciência decidiu quando eu nasci que seria como eu: viveria pesada. 
O tempo todo estou me sentindo culpada.
Falo e me arrependo.
Desabafo e entristeço.
Magoar não é muito comigo.

Isso contrasta de uma forma interessante com meu temperamento, porque de "normal" a "vá pro inferno" é só uma linha tênue e meio embaçada. 
Assim, mando tomar naquele lugar e o remorso me consome em fogo lento.

Vivo no modo "peça desculpas".
E ainda não decidi se isso é bom.

Apesar de nós

Postado por MissHachi7 às 21:52 0 comentários

"Paixão é voltar antes mesmo de ir." - Fabrício Carpinejar

   O dia nem começara direito e já estávamos discutindo. E nem era algo necessário, difícil, que precisasse mesmo ser batalhado à exaustão. Na verdade, devia ser mais banal do que "você sempre aperta o tubo de pasta dental errado, seu ignorante abissal", ou "você lavou minha camisa branca com as outras coloridas de novo, sua vaca esquizóide".
   Não que não nos amássemos. Não que não nos amassássemos com vigor. Era só que a vida de casados estava matando mais amor do que tínhamos juntado em todo esse tempo em que estivéramos juntos. Três anos pareciam muito, pareciam o suficiente, fazia sentido que amarrássemos os trapos, juntássemos as vidas lazarentas e tentássemos ser felizes juntos, mais ou menos no mesmo ritmo. A questão é, não funcionamos no mesmo ritmo. Aliás, não temos ritmo, e talvez isso dificulte naturalmente as coisas. Em vez de um poder acompanhar o outro, era sempre um gritando com o outro. "Que porra é essa que você está fazendo?", era o que mais dizíamos.
   E naquele dia, levantamo-nos com a mesma predisposição pra brigar. Sem intenção de melhorar, nem de ajudar o outro a crescer. Coisa besta. Então parei de gritar por um momento. Aquilo era tão desnecessário. Nem prestei mais atenção nas pragas que ele me rogava, comecei a juntar minhas roupas (que não eram muitas, mas o ato em si causava impacto), e com a cabeça cheia de raiva muda, entrei no carro e dei partida na banheira.
  Era a terceira vez que tentava abandoná-lo. Quando finalmente consegui convencer nossa lata velha a funcionar, vi que ele estava me olhando do portão. Sua expressão. Aquele olhar me matava toda vez. Era uma mistura louca, mas conhecendo aquele cara como eu conhecia, era fácil identificar cada sentimento: a raiva por tê-lo deixado falando sozinho, o puta medo de que daquela vez eu realmente fosse e não voltasse, o desafio pra ver se eu iria mesmo, a tristeza por perceber que viver daquele jeito cansava. 
   Minha alma até se enrugou. Eu senti. Detestava ser a causa de tamanha confusão no coração dele. Caralho, ele me fazia mais feliz do que eu jamais fora, mas me dava mais trabalho do que eu pensava poder suportar. Fiz força para me lembrar do motivo pelo qual estava tão decidida a ir para longe. Mas só conseguia ouvir, muito alto na minha cabeça, as palavras da minha mãe: "o inferno que te cerca foi criado por você; aonde quer que vá, vai levá-lo com você". Ele não tinha culpa se eu era uma zona que andava. Nós dois tínhamos que conversar, que ver como melhorar a situação toda, em vez de simplesmente fingir que não havia conserto para nós. Tem tanto amor no meio, devia funcionar em algum momento, se trabalhássemos nisso.
   Ele não disse nada. Esperou onde estava, observando meu conflito embaraçoso. Com um movimento dos olhos, me chamou pra entrar. Com as lágrimas já escorrendo pela minha covardia, morrendo de saudade do homem que eu amava, desci do carro e corri pra ele. "Me desculpa", pedi. "Vai ficar tudo bem, eu te amo apesar de nós", ele sorriu entre meus cabelos. 
   E eu acreditei que ficaria tudo bem de verdade.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Pra sempre...

Postado por MissHachi7 às 20:21 0 comentários
Melhor do que
a lembrança de um cheiro bom, 
só mesmo estar com o cheiro impregnado 
em suas roupas, 
sua pele,
seu cabelo, 
sua boca.

Acima 
da idealização de um momento,
só viver o momento,
fazê-lo ocupar
um minuto,
uma semana,
um ano,
uma vida.

Precisar de alguém,
querer alguém, 
deixar ir,
pedir pra voltar,
pra ficar,
mais um pouco,
um muito,
pra sempre.



sábado, 13 de julho de 2013

Melhor que drogas

Postado por MissHachi7 às 11:23 0 comentários
Sentir cada batida do seu coração,
Sentir você nessas noites vazias...
Acalme a dor, pare a agitação,
Você limpa minha mente...
 
Você é meu escape desse lugar desordenado,
Porque você deixa me esquecer,
Você paralisa minha dor.

Como eu posso dizer tudo o que você é,
Tudo que você faz por mim?

Você é melhor que drogas,
Seu amor é como vinho...
Sentir você chegando tão rápido,
Sentir você vindo me levar para o alto...

Sentir você quando eu estou nervosa...
Sentir você quando eu não posso enfrentar...
Você é meu vício, minha prescrição, meu antídoto.
Você mata o veneno,
Alivia meu sofrimento,
Acalma a raiva quando eu estou amedrontada...
Para sentir de novo...

Sentir cada batida do seu coração,
Sentir você nessas noites vazias,
Você é a força da minha vida...

(Skillet)

Como as coisas funcionam

Postado por MissHachi7 às 09:34 0 comentários
   Eu quero falar sobre a ordem das coisas dentro do âmbito do que não é oficial nem sério nem útil. Se você procura respostas efetivas, não leia. Ou leia para rir do quanto eu sou vaga a respeito de... ah, você sabe. Das coisas.
   Primeiro, eu constatei que eu sou um repelente de pessoas (isso significa que eu repilo pessoas? Repilo? Essa palavra existe?). Juro. Quando eu estou no meu lugar, fazendo o que tenho que fazer, pronta pro que for necessário, disposta, animada, cheia de vontade pra ajudar, ser útil, fazer acontecer, o caralho a quatro, ninguém chega perto. Acho que tanta energia pra viver assusta a galera.
   Mas no dia em que estou com cólicas demoníacas, dor de cabeça, preguiça pura e destilada, ou não apareço, ou sumo por três minutos para ir ao banheiro, o mundo sente minha falta e vai atrás de mim. É sério, eu posso ter saído há dez segundos, chegam no mínimo três pessoas perguntando pela minha pessoa. Até lá em casa. Se estou no meu quarto, decorando a parede ou pintando caixas ou lendo ou qualquer coisa que eu possa parar, ninguém me ama e ninguém me quer. Mas se eu saio para ir ao cinema ou começo a resolver um simulado [que não posso parar por uma questão de cronometragem], todo mundo bate na minha porta metafórica (porque não tem porta no meu quarto) e precisa de mim. Quer dizer, qual o sentido?
    Segundo, qual é a do telemarketing? Eu não trabalho, eu não tenho dinheiro, eu dependo da minha mãe até pra comprar chiclete sem açúcar, diga-me COMO eu poderia pagar uma mensalidade de 45 reais para falar ao celular? Ah, Aline, não tem como eles saberem que você vive nessa pindaíba, estão só fazendo o trabalho deles, nossa, como você reclama. Cara, mesmo depois de eu dizer que não posso, não quero, não preciso, não tô a fim, eles continuam e continuam e continuam [ad infinitum]. E não dá pra simplesmente desligar na cara deles, porque é falta de educação e isso eu evito, não importa o que a concorrência esteja espalhando por aí. Então tenho que dar uma desculpa boa o suficiente, educada o suficiente, rápida o suficiente e verossímil o suficiente. Do tipo, nossa, meu gato caiu do telhado, deixa eu ir ali ver, beijo
   Sim, eu me despeço do pessoal do telemarketing mandando beijo. Sou um amor.
   Terceiro, como de repente as coisas dão certo? Não que eu esteja reclamando, credo, hosanas ao destino, mas surpreende um pouco todas as partes da vida estarem em pedaços e em uma semana esses pedaços irem pro lixo e serem reciclados e voltarem na forma de uma vida bem diferente da que era antes, mas bem mais encaminhada e cheia de possibilidades. Não é uma apologia necessariamente à minha vida [mas é], a questão é que quando continuamos trabalhando e nos esforçando, e tentando não deixar a peteca cair (que expressão besta pra alguém que nunca jogou peteca), tudo vai achando um rumo, ou mudando de rumo para outro melhor.
   FIM da teoria semi-autoajuda-pseudo-intelectual de hoje. Beijo.

Árduo

Postado por MissHachi7 às 08:44 0 comentários
   Estava sentada já havia algumas horas. Mia sempre fora uma pessoa irritantemente presa à rotina e à ética. Não saía um segundo mais cedo de seu horário no serviço, e isso me obrigara a esperar mais do que me sentia disposta. Apesar de ser uma mulher de meia idade solitária, ela me irritava constantemente com pensamentos de amizade e desejo de se relacionar a sério com alguém. Tinha gatos que rondavam a casa com o desinteresse característico da espécie. Nenhum deles olhou mais de uma vez para mim. Mia. Tem muitos gatos. Tragicômico. Mas para resumir: quieta, sozinha, pacífica, responsável, tediosa. Quer dizer, quem quer uma afilhada assim? Dava tanto trabalho.
   Eu basicamente tinha que fazer tudo! Ter as ideias, passá-las pra ela, esperar que ela entendesse, criar situações em que ela pudesse sentir raiva e por isso pra fora, sete infernos. O mais terrível que já conseguira foi que ela gritasse com um caixa do supermercado uma vez e atirasse as compras do outro lado do corredor, mas ela pediu tantas desculpas depois que quase chorei. Quarenta e três anos de puro trabalho, para praticamente nada.
   Mas enfim meu cansaço terminaria. Ela havia passado tanto tempo vivendo corretamente, aborrecidamente. O tempo dela acabara. Claro que não fazia muito sentido eu aparecer para buscá-la, mas creio que justiça não seja muito aplicável quando sou eu quem toma as decisões. O anjo dela não tinha que vigiá-la demais, e isso me deu muito espaço para trabalhar. Além do mais, Mia havia deixado de rezar havia muitos anos, e assim eu estava sempre por perto. Quase um apego, mas sem afeto. Eu fazia questão de ser quem a levaria de volta. 
   Ela chegara em casa tarde da noite, como de hábito. Eu a estava esperando na cozinha, com a luz apagada. Ao entrar, Mia assustou-se em me ver. Claro, não foi surpresa para mim. Quando alguém mora sozinha há anos, acostuma-se a ser recebida friamente pela solidão - e não espera encontrar uma mulher desconhecida, no escuro, em sua casa. Ri por ela deixar a bolsa, as sacolas, tudo cair no chão. Levantei-me para ir chutar algumas coisas e aumentar a bagunça, mas fui empurrada para trás com firmeza.
- Fica longe! -  estava alarmada e eu podia sentir pelo tom de voz que seu medo era bem maior do que ela gostaria. Ela me reconhecia aos poucos, de pesadelos e pensamentos obscuros, e isso só piorava seu estado. Isso me fez rir ainda mais alto. Afastei-me o suficiente para alcançar o interruptor.
   Acendi a luz e sorri para seus olhos assustados. Ver o medo de alguém que me causou tanta dor de cabeça é um prazer de que não me esqueço e de que não abro mão.
- Boa noite, Mia. Não faço questão alguma de fingir ter prazer em encontrá-la em pessoa. Eu sou seu demônio de guarda. 
   Ela leva a mão ao peito. Foi fácil. Tem um infarto e morre. Seus gatos cercam o cadáver, numa demonstração inédita de afeto. Pego a alma pela mão. Adoro meu trabalho.

Nunca mais vou amar

Postado por MissHachi7 às 08:37 0 comentários
Eu estava errado em deixar você sair da minha vida,
Fui burro em pensar que eu poderia sobreviver...
Fui idiota por acha que a grama era mais verde do outro lado...
Agora dói saber que ele quer dizer que
Eu nunca vou amar novamente.

Eu nunca encontrarei alguém que me ame como você,
Eu nunca encontrarei alguém para tratar como você tratou,
Nunca mais vou encontrar ninguém,  
Nunca mais vou me apaixonar.

Foi estupidez pensar que algum amor poderia se comparar
Ao amor que você me deu...
Fui um tolo, sim, um tolo de pensar que eu iria
encontrar em qualquer lugar
Alguém melhor para mim do que você...

E agora meu coração está frio como pedra porque você se foi, foi
Para longe, foi embora...

(Taio Cruz)

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Lista de afazeres para férias de julho

Postado por MissHachi7 às 17:50 2 comentários
- estudar [essa porcaria tem que vir em primeiro lugar...];
- jogar UNO com a Ayana [porque é divertido, apesar de nós duas sermos extremamente competitivas e termos uma leve tendência a começar a gritar a partir de um certo ponto. O fato de ela ter 7 anos e eu 18 é irrelevante];
- assistir umas 57 horas de filmes e seriados com Marcus [o que talvez (só TALVEZ) tenha que ser estendido para as próximas férias];
- ir ao oftalmologista [descobrir o que tem de errado com meus olhos para eu ficar vendo luzes onde não tem luzes e morrer de dor de cabeça só de ficar lendo no escuro];
- ir à formatura da Jéssica [porque meu vestido é lindo e preciso mostrá-lo para o mundo porque amo minha prima e estou orgulhosa com o fato de ela estar se formando];
- MUAY THAI;
- voltar pra academia com a Mamãe, porque ela não quer se deprimir ao perceber que é a única gorda lá [leia-se, ela vai ver que eu sou muito maior e mais mole e vai se sentir melhor. Sou ou não uma filha amorosa?];
- terminar aquelas aulas de legislação que são infinitas;
- visitar alguns amigos que não vejo há muitos séculos muito tempo [porque eu estou no cursinho e eles estão na faculdade federal, e competimos quem tem menos tempo para ser feliz];
- aprender a fazer flexões [essa é importante, estou começando a sentir os olhares de julgamento dos coleguinhas no muay thai...];
- sair com a Leni e a Vanessa todos os dias que elas puderem [porque meu amor é do tipo possessivo];
- fazer um Twix gigante [eu prometi a algumas pessoas e não vou desapontá-las];
- aparecer no treino de rugby [porque saudade, assim como tristeza, mata];
- escrever uma carta pra Carol Ogawa [porque eu estou com saudade dela e quero me mandar via Sedex pra ela...];
- continuar ignorando o Apollo [porque ele me irrita com as críticas que eu não pedi e nunca me ajuda na prática, mesmo quando eu peço].


Bolinho de Chocolate

Postado por MissHachi7 às 17:18 0 comentários
- Quer meu bolinho de chocolate?
- Não, obrigado.
- Mas você adora bolinho de chocolate. Já vi você falar que era sua comida favorita.
- É mesmo, mas não tô com vontade agora, valeu, cara.
- Por que não?
- Eu já comi um bolinho mais cedo.
- E daí?
- Daí que engorda.
- Como se você ligasse. Come o meu bolinho!
- Tô ligando agora, entendeu? Não quero, é sério!
- Só porque é meu?
- Lógico que não. Que ideia. Só não quero comer.
- Então pega, leva pra casa.
- Eu não quero.
- Você está sendo muito inflexível. Vai, come o bolinho de chocolate.
- Nem.
- Mano, eu não envenenei essa porcaria não! Fica com ele! Pode comer!
- MAS EU NÃO QUERO!
- Anda, pega o bolinho.
- Cara, que droga, não vou pegar!
- PEGA!
- NÃO!
- ANDA!
- NÃO!
- Olha aqui, por que você não vai aceitar meu bolinho? Qual o seu problema? Paranóia?
- Do que você está... Cara, na boa, vai embora.
- Oquei, eu vou, mas não volto mais. E não fale mais comigo, ouviu?
- Não fala comigo VOCÊ, seu psicoputo!
- TCHAU! - (sai correndo).
- E leva essa droga de bolinho de chocolate com você, que não quero olhar pra isso nunca mais.
*O bolinho explode ao acertar as costas do cara, espalhando fragmentos de metal para todos os lados, tragédia.*

terça-feira, 9 de julho de 2013

Café para meu avô

Postado por MissHachi7 às 17:53 0 comentários
   Meus avós são extremamente tradicionais, do tipo que gosta de cozinhar, receber os netos em casa, ir para a chácara sempre que dá, oferecer café para toda visita que chega e esperar café sempre que vão visitar alguém. Adoro agradá-los. Por esses lados da reflexão, quando vão até a minha casa, fico feliz em fazer um cafezinho para recebê-los, para tomar enquanto assistimos novela.
   Acontece que ontem, eu estava meio distraída, porque uma amiga muito querida havia voltado de viagem após muitos dias, e esperava ela me ligar. Assim, comecei a fazer o café, mas quando o celular tocou, saí correndo e voltei conversando, então não percebi que não havia colocado açúcar na água. Quando desliguei, fui servir meu avô. Ele até se contorceu com o amargor, mas não disse nada. 

 
   Chegamos na sala, ouvi ele "sussurrar" para minha irmã:
- Não vou nem precisar beber café amanhã, o gosto ainda vai estar na minha boca.


  
 E depois, ele disse para minha avó:
- Mara, vai lá tomar o café da Aline. 
- Daqui a pouco eu vou. - ela estava concentrada na novela.
- Mas eu quero ver sua careta agora! - e começou a gargalhar.

   Até tentei beber, só para provar que ele estava errado, mas era impossível. Eu realmente não colocara nada de açúcar, e não conseguia engolir, de tão terrivelmente amargo que estava.

   Fiquei um pouco chateada, porque a princípio a única coisa que eu sei fazer é café. E se nem isso estava saindo mais, o que me restava? Vovô foi me consolar.
- Aline, você não fique assim não. - me abraçou, fez carinho no meu cabelo - Você sabe que vovô te ama, não sabe?
- Sei, vô.
- Mas o seu café - ele emendou, rápido-,  nã-nã-ni-na-não.

   Muito amor.

Sonhos bizarros

Postado por MissHachi7 às 13:14 0 comentários
- sonhei que tinha uma pessoa de estimação. Nada zegzual, era um cara que eu alimentava e levava pra passear, deixava correr pelo quintal e com quem eu jogava UNO. Nem sei de onde eu tirei essas ideias.

- sonhei que estava usando aparelho fixo de novo e de repente a arcada superior colou na inferior e quando tentei separá-las, a de cima soltou da minha gengiva. É, fiquei banguela, cem por cento. Medo.

- sonhei que era uma agente secreta mas sem querer contei pra Leni e todo mundo queria matá-la porque ela não devia saber. Ninguém devia saber... Eu é que deveria ter sido caçada. Abatida a tiros. Detestei!

- sonhei que estava tocando piano numa apresentação da escola e o Apollo foi lá para me vaiar. ESPECIFICAMENTE para isso. O que é bem passível de acontecer mesmo...

- sonhei que meu pai tinha ficado com dó do meu aquário quase vazio e comprado quatro polvos pra mim. E eles comiam ração pra peixe. Não era bonito de ver.

- sonhei que estava comendo chocolate com a Sandy (sim, a Sandy Sandy-&-Junior), e cantando feito uma retardada. Consegui entediá-la. Meu recorde.


sexta-feira, 5 de julho de 2013

Vanessa

Postado por MissHachi7 às 12:03 1 comentários
   Você sabe o quanto me sinto mais confortável com as palavras escritas, né? Então aqui vão algumas, do fundo do meu coração, com amor em alta pressão (piada ruim).
   Você viu de perto, acompanhou esse semestre inteiro o quanto eu controlo mal o meu desequilíbrio, e mesmo assim não me julgou nem me tratou mal; muito pelo contrário, sempre esteve comigo, animando ou consolando, conforme o drama.
   Quando Leni se mudou, eu achei que havia ficado sozinha na sala, e entrei em desespero, como costumo fazer em momentos difíceis. Senti-me, porém, iluminada e inundada de carinho ao ser adotada por você, Síntia, Paulo e Leonardo - aliás, desculpa por ser uma criatura que dá mais trabalho do que orgulho. Sou muito feliz não apenas pela atenção e ajuda constantes, mas também a preocupação e afeto que me dão essa sensação deliciosa de ser querida. Por isso sou muito grata.
   Acredito que Deus prime pelo equilíbrio ao nos conceder pessoas para adoçar ou amargar a vida, mas Ele definitivamente me privilegiou mandando todos vocês de uma vez. Não tenho como agradecer o suficiente, e sei disso. Mas saiba que está sempre nos meus pensamentos, orações e agradecimentos aos céus.
   Enfim, estou escrevendo para lembrá-la do quanto a amo. Porque é sempre bom que nos relembrem da diferença que possamos ter feito na vida dos outros... E você faz toda a diferença, Vanessita. Desejo a você toda a felicidade, o amor e o sucesso desse mundo, e sei que você terá, porque merece isso e muito mais. 
   Feliz Aniversário!
Com mais amor do que pode imaginar, 
Aline Renata

terça-feira, 2 de julho de 2013

Momento desconfortável

Postado por MissHachi7 às 17:31 0 comentários
Ser uma pessoa desafiada no campo peitoral não tem muitos lados positivos.
E um dos muitos negativos é que dói correr e pular - atividades que não parece, mas eu sei exercer.
Então chega um dia na vida de qualquer um em que se está explicando: para praticar esportes você precisa usar mais de dois sutiãs. E às vezes um top. O que deixa tudo mais... no lugar. E desconfortável. Atrapalha respirar, aperta...
Engraçado falar nisso. 
Mas eis que o colega do seu irmão surge:
- É, eu reparei mesmo que você está...hã... nada. - fecha a cara, abaixa a cabeça, abre um buraco no chão e some.

Esse menino vai ficar traumatizado um dia.

Teoria de Cama

Postado por MissHachi7 às 17:17 0 comentários
A cama é o móvel mais versátil do quarto.
Pense comigo: durante a noite é cama, ok.
No resto do tempo, pode ser estante, playground, esconderijo, divã, companhia.
Dá pra empilhar livros, roupas, gente, pensamentos, sonhos, quase tudo.
Poucos lugares consolam tanto quanto uma cama.
Ninguém sabe de seus pesadelos tanto assim.
Não se foge, depois de uma decepção, para o criado mudo.
Amigos decidem que ela é o melhor lugar para embolarem-se depois de festas.
Única que sustenta meus 110kg sem miar.
Cuida do meu travesseiro velho, e provavelmente gosta dele também.
É o único móvel que, se estiver bagunçado, fode com o visual inteiro do quarto.
Meio psicóloga, meio amiga sem vergonha.
Senti que devia um post a ela.



Amo-te, porém...

Postado por MissHachi7 às 14:46 0 comentários
Não tanto a ponto de dizer-te o quanto partes meu coração hipertenso.
Com certeza não a ponto de dizer o quanto amo.
Não tanto que me faça chorar mais que um par de lágrimas por dia.
Amo-te, com certeza.
Mas não mais do que amava quando ainda era certo.
Talvez menos.
Não amo a ponto de ter certeza.
Desisto de amar-te ao ponto da dor.
Por isso, amo-te.
Mas viva.
Só.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Desde que você foi embora

Postado por MissHachi7 às 09:39 0 comentários
Eis a questão:
Nós começamos como amigos,
Era legal, mas era tudo fingimento.
Desde que você foi embora...
Você se dedicou, deu o tempo certo...
Não demorou até que eu o chamasse de "meu".
Desde que você foi embora...
E tudo que você sempre me ouviria dizer
Era como eu me imaginei com você...
Isso é tudo que você sempre me ouviria dizer...

Mas desde que você foi embora...
Eu posso respirar pela primeira vez.
Eu estou seguindo em frente.
Graças a você, agora eu tenho o que eu quero
Desde que você foi embora.

Como eu posso falar disto? 
Você me entusiasmou...
Eu até gostei daquela estúpida canção de amor...
Desde que você foi embora....
Como eu nunca ouvi você dizer
"Eu só quero estar com você"?
Acho que você nunca se sentiu desta maneira.

Você teve sua chance e estragou tudo...
"Longe dos olhos, longe dos pensamentos."
Cala a boca!
Eu não posso suportar mais uma vez,
E outra, e mais outra, e mais outra...

(Kelly Clarkson)
 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review