quarta-feira, 30 de outubro de 2013

2013

Postado por MissHachi7 às 14:37 0 comentários
ainda não acabou,
mas algumas esperanças 
que eu tinha pra ele
acabaram.


segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Reeducação alimentar + suporte da galera (?)

Postado por MissHachi7 às 15:51 0 comentários
Depois da primeira semana, era de se esperar que eu estivesse menos incomodada com o fato de não poder mais comer como antes, mas não.
E gostaria de ressaltar um aspecto muito delicado de todo o lance de reeducar-se para o que é saudável, e para o que não engorda...
Com certeza não é fácil para ninguém; no entanto, algumas coisas dificultam esse processo ainda mais!

Por exemplo, dificilmente um evento com os amigos não envolve comida.  
Vamos comer uma pizza. 
Vamos tomar um sorvete. 
Vamos ao cinema (é uma linguagem secreta; significa vamos comer pipoca)

Em toda propaganda tem coisas de comer! E tudo fácil, tudo que faz mal e está logo ali. Você sai de casa e anda dois quarteirões, vê dois bares assando churrasco, a placa do McDonald's no horizonte e se depara com um carrinho de cachorro-quente. Parece até piada.

Na casa de parentes, sempre alguém vai ficar ofendido por você não querer comer, por não aceitar, mesmo que você decline educadamente. 
Estou tentando comer menos, comer direito! 
Não, só um não faz mal, 
é só um pouquinho, 
é só hoje

É, mas nesse ritmo eu vou a vida toda! 

Morando com três irmãos mais novos, sempre há por perto alguém com uma caixa de bombons, sorvete, salgadinhos, porcarias.
E insistem para eu comer! 

Eu sei que todos estão com pena de mim, principalmente os que me viram chorar na frente do Doritos
Mas o que eu preciso MUITO de todos é que entendam: eu necessito desesperadamente aprender a viver sem essas coisas. E eu sei que eu consigo, porque sempre que resisto, sempre que vou dormir depois de ter conseguido dizer não para todas as coisas "gostosas" que me ofereceram durante o dia, eu me sinto maravilhosamente bem. 
Então, não estou pedindo de forma alguma que parem de me oferecer as gordices de sempre, não mesmo. Estou pedindo para que parem de insistir depois do sexto ou sétimo não. 
Só por uma questão de piedade para com uma gorda que está tentando mudar. 
Só agora, tá?
Vai chegar o dia em que eu direi não quantas vezes vocês quiserem 
e minha moral vai continuar lá em cima. 
Só que esse dia ainda não é hoje.

                      Realmente preciso da ajuda de vocês nesse projeto... 


Também quero agradecer aos que estão me ajudando, seja fingindo que o hambúrguer tava ruim, ou não oferecendo as coisas, ou compreendendo minha situação, ou torcendo pelo meu plano, ou incentivando minhas iniciativas, ou dando ideias, ou mandando força sempre, ou também começando o próprio projeto para entrar em forma e se sentir melhor comigo (tipo, a Andressa, que além de tudo isso lê as coisas que eu escrevo, aaaaahhh... e a Bastarda. e a mamain).
Essa semana, aliás, receberei ajuda da minha amiga, a nutricionista Giselle Moraes, para montar um cardápio que me ajude a aproveitar esse processo de mudança da melhor forma possível, com o menor sofrimento agregado... e até mesmo para não fazer aquelas burradas de principiante, do tipo: comer tão mal que começa um quadro de anemia, ou comer tudo light e diet achando que tá liberado... 

Boa sorte pra mim!
#HachikoMenor #AlineDelícia #EstudarQueÉBom,Sempre

Pedaço do meu coração

Postado por MissHachi7 às 15:10 0 comentários
 
Oh, venha!

Eu não fiz você sentir como se fosse o único homem? Sim!
E não te dei quase tudo que uma mulher pudesse dar?
Querido, você sabe que sim!
E a cada vez digo a mim mesma "bem, acho que tive o bastante..."
Mas eu vou te mostrar que uma mulher pode ser "durona"!

Eu quero que você venha, venha, venha, venha e leve-o,
Leve outro pedacinho do meu coração agora,
Quebre-o!
Quebre outro pedacinho do meu coração agora, querido, sim
Possua-o!
Possua outro pedacinho do meu coração agora,
Você sabe que pode, se isso o faz se sentir bem..

Você está fora, nas ruas, parecendo bem,
E bem dentro do seu coração, acho que você sabe que isso não é correto...
Nunca, nunca, nunca, nunca, nunca me ouve quando eu choro à noite,
eu choro o tempo todo!
E a cada vez digo a mim mesma  "bem, não consigo suportar a dor..."
Mas quando você me segurar em seus braços, vou cantar mais uma vez...

(Janis Joplin)

Uma semana de dieta

Postado por MissHachi7 às 14:53 0 comentários
Como eu estou me sentindo:



O que eu quero fazer mas não farei:



sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Queria ser assim

Postado por MissHachi7 às 15:19 0 comentários
"é pilar mas poderia ser linha" HAHAHAHA


Avaliação física

Postado por MissHachi7 às 14:40 0 comentários
Hoje fui à academia fazer algo que eu devia ter feito há muito tempo: uma avaliação física. 
É uma forma de saber exatamente com o que estou lidando, e facilitar a definição de metas. 
Não é nada bonito contar esses números pros outros, mas o projeto envolve essa vergonha, porque quem sabe assim eu viro gente e levo a sério até o fim o objetivo é mudar todos eles.
As medições malditas com o adipômetro (ou "pinça de medir banhas") indicaram que 29,8% do meu corpo é gordura. 
Eu sei, é muito. Assusta.
E não é só isso, mano. 
É gordura dura. Isso significa que eu preciso de menos musculação e de mais aeróbica. Pra "amolecer" as banhas e poder sumir com elas.
Legal, né? Também não acho.
Como veredito, eu preciso reduzir, em três meses, pelo menos 4% do meu tecido adiposo grudento.
Houve o momento pesagem, que assustou a personal. Estou no auge dos meus 109kg, e eu acho que é bem visível, mas todo mundo fica tipo "não parece!". É, queridos, não parece porque vocês não têm que me carregar o dia todo, eu posso dizer pela dor no joelho que peso tudo isso, fácil.
Minha circunferência foi toda conferida e anotada, meus hábitos foram todos questionados, e agora o meu treino será moldado de acordo com meu estilo de vida, minha alimentação e minha força de vontade (huhuhu).
O processo me constrangeu um pouco, mas afinal, percebi que não é só uma questão estética e que me incomoda, mas principalmente uma questão de saúde. É como a Bruna disse, nosso corpo é nosso pra sempre, e se eu já tenho, aos 19 anos, sintomas de doenças e problemas que são comuns em adultos e idosos, como estarei aos 80?
UMA DELICINHA CREMOSA E SAUDÁVEL, porque tô começando a consertar agora. Há!
O resto vocês sabem: meu abdome é muito maior do que o recomendável para que você viva um tanto bom (quase 30cm a mais que o recomendado pelo Ministério da Saúde -q), love handles em todo lugar (até onde você duvida que seja possível), um joelho meio zoado (que vocês já conhecem), e comer direito para todo o tempo na academia fazer diferença.
UHUL!
#HachikoMenor #AlineDelícia #EstudarQueÉBom,Sempre

Dias

Postado por MissHachi7 às 14:22 0 comentários
Dias que são tão ruins que
quando eu finalmente
deito na minha cama
abraço meu cachorro de pelúcia
e afundo o rosto no travesseiro
agradeço por eu ter passado
mais um dia
sem explodir.

Falta de tempo

Postado por MissHachi7 às 14:04 0 comentários

Existe um único antídoto para a falta de tempo. 
Um único.
Estar apaixonado.
Esquecer de si para inventar o desejo.
O desejo transforma-se no próprio tempo.
Tudo é adiado.

(Fabrício Carpinejar)

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Como vai a dieta

Postado por MissHachi7 às 16:02 0 comentários
   Bom, dietas sempre me deixam em um estado de espírito que só perde pra possessão demoníaca. Estou no terceiro dia da minha missão de reeducação alimentar e já houve colapsos mentais.
  
 Me acha fraca? 
   Adivinha quando foi o primeiro colapso? 
   Ontem de manhã.

Eu cheguei à mesa para tomar café da manhã e comecei a chorar porque tinha Doritos e molho French Onion lá e eu não podia comer. 
Almocei salada e minha cara devia estar tão boa que eu podia estar comendo grama com alfafa e a expressão seria a mesma. 
Sobrevivi de barrinhas de cereal light a tarde toda. 
Fui pra academia até reluzindo de raiva. 
Voltei, tomei um copo de proteína de soja com linhaça. 
Meu humor ao fim do dia estava como era de se esperar. Fofo.



   Hoje, por outro lado, acordei igualzinha acordo todos os dias (ou seja, a fome e a agonia de ontem não me mataram e nem deixaram sequelas, yay!), tomei minha proteína de soja com linhaça - PAUSA para reflexão: você sabia que a linhaça ajuda na sensação de saciedade e te lota de fibras, além de ser gostosinha e tirar o sabor de NADA da proteína de soja? -, almocei bem pouco e estou até agora bem de boa... Fora o mau humor, esse não muda fácil, porque tem ENEM esse final de semana. EXCELENTE MOMENTO, Aline, pra começar uma dieta. 
   Ironias à parte, foi um excelente momento, de fato. Se eu estivesse comendo como minha ansiedade está pedindo ultimamente, eu com certeza teria falido meus pais. 
   Agora, outra reflexão: depois de passar um hora fazendo apenas exercícios para queimar banhas, botando os bofes pra fora, respirando malmente com aqueles ventiladores ridículos jogando água em mim, suando todos os meus pecados pra fora, sinto-me um tanto quanto puta da vida por toda aquela zona de guerra me render APENAS 500 calorias a menos. Isso me dá um pouco de náusea quando penso em comer coisas gordurosas.

Fofura pra você

Postado por MissHachi7 às 15:31 0 comentários

Percebi que já era adulta quando

Postado por MissHachi7 às 15:21 0 comentários

- minha mãe passou a limpar a casa toda, exceto meu quarto;
- ri de uma bronca do meu pai e não apanhei;
- permitiram que eu fosse sozinha fazer matrículas e inscrições;
- não tentaram me dissuadir da ideia de parar de estudar e arrumar um emprego;
- não perguntam mais como gasto meu dinheiro (é, como se eu tivesse muito);
- não me acordam mais para ir a aula e nem tentam me convencer a ir quando digo que não vou;
- ameacei sair de casa e ninguém se importou;
- não ouvi sermão quando insinuei querer fazer uma tatuagem;
- furei a orelha e não houve mimimi;
- jogam isso na minha cara o tempo todo ("faz o que quiser, você já é adulta");
- as pessoas tentam me convencer de que preciso me casar algum dia;
- a data de execução de boa parte dos meus planos passou a ser "assim que você morar na sua própria casa". E eles falam sério.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Chuva de lágrimas

Postado por MissHachi7 às 17:47 0 comentários


Eu vejo a chuva caindo sem parar...
Sem perceber uma lágrima cair do meu olhar...
Estou morrendo pouco a pouco, triste, sem você...
 
Onde está?
Vem me ver...

Por dentro eu me sinto tão triste, tão sozinho...
Meu mundo ficou tão escuro sem a luz do teu olhar!
No peito o coração me pede pra esquecer,
mas não consigo...
 
Tem dó de mim...
Não faz assim comigo...

A chuva bate na vidraça da janela,
e eu sozinho sem ela,
e eu chorando por ela...

Enquanto a chuva vai caindo
pelo chão,
chuva de lágrimas 
molha o meu coração...

(Leandro e Leonardo)

Surtos - DESCONFIE

Postado por MissHachi7 às 17:36 2 comentários
   As relações humanas são baseadas em interesses mútuos sendo satisfeitos, mesmo que não necessariamente pareça haver paralelismo nas vantagens. De qualquer forma, aproximamo-nos uns dos outros buscando soluções, prazer, afeto e oportunidades. A complexidade dos relacionamentos têm muitos de seus revezes nessa teia de intenções, e o emaranhado de possibilidades para o desatar desses laços interpessoais é de causar espanto. Ao se tratar das paixões e vontades de um indivíduo, nota-se a utilização de subterfúgios para justificar aproximações sociais, geralmente evitando admitir o impulso inicial: o interesse.


   Agora, falando normalmente, pessoas vivem se aproximando apenas por precisarem de favores, informações e derivados. Quem não conhece um filho da puta alguém assim? Eu conheci vários, especialmente no colegial. Juro que até então achava que todos os meus amiguinhos estavam comigo apenas pela minha personalidade (porque esse era meu consolo: gorda e pobre, ninguém se aproximaria por interesse... doce ilusão, existe mala sem alça de todo tipo nesse mundo) e ajudava todos eles [emprestando tarefas prontas, deixando passarem meses com cadernos de que eu precisava, fazendo trabalhos de última hora, passando cola, estudando loucamente dez minutos antes da prova] porque pensava estar sendo caridosa para com queridos e adorados e...

   Enfim, cara na poeira, minha bolha mágica estourou, pessoas são más e eu quero minha mãe.

POR ISSO eu agora desconfio de todo surto.
Surto de delicadeza, de fofura, de amigabilidade, de gentileza.

"Ah, Hachi, você ficou amarga!"

   Não fiquei nada, sou tão doce quanto sempre fui, porra. A questão, agora, é analisar a procedência. Se a criatura é naturalmente afável e legal comigo, não há motivos para desconfiança quando isso se intensifica. Mas um ser que não me conhece, não fala comigo, acha que somos velhos amigos só porque convive comigo há 5 anos começa a miar pro meu lado, eu já olho meio de lado antes ouvir. É quase um "corta a bajulação, e diz logo o que você quer", mas mais intenso. 
  E cuidado, eles estão por todo lado, e se reproduzem rápido e por dinheiro.
 

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Ante-projeto Hachiko Menor

Postado por MissHachi7 às 17:59 0 comentários
   Tentando entrar em forma há mais de um mês, ainda não senti tantos resultados quanto deveria.

   Até porque, se fossem os resultados de que eu gostaria, era pra eu estar magra, definidíssima e com fôlego suficiente para jogar dois tempos de Rugby Union sem pedir arrego, ou no mínimo dar uma volta no campo... Já me sentiria melhor.

   No entanto, mesmo considerando os resultados que seriam de se esperar, ou seja, humanamente possíveis, não tive muito progresso (emagreci 3kg em um mês. NÃO TÔ FELIZ), e como a parte da academia está indo muito bem, e eu não trapaceio lá, chegamos

ao que estava errado 
e todo mundo sabia, 
mas que eu não queria admitir:



EU COMO MAL. 
   E claro que você que me conhece já sabia disso, mas honestamente, algumas coisas precisam ser jogadas na nossa cara com a violência de um soco para serem levemente percebidas. Pois é. Fui recapitular minha alimentação na última semana e me assustei. Estava anotando tudo, inclusive a quantidade de água que bebia, e, na boa. 

CHOCOLATE COOKIES PÃO 
CHURRASCO BALAS MASSAS BATATA
  BOLO REFRIGERANTE  SORVETE NUTELLA
 BACON PIZZA AÇÚCAR

   Digamos apenas que eu não estava seguindo o método mais canônico para quem quer emagrecer. BOM. Estou admitindo essa porcaria desse mau hábito. Então vou simplesmente anunciar que estou começando, pela milésima vez nessa vida, uma reeducação alimentar. POR ISSO, se me vir comendo alguma besteira, pode dar bronca, porque agora é sério. Cansei de ser gorda. De verdade.


PS: quem me dera estar na situação da mulher da foto.

HAIKAI 37

Postado por MissHachi7 às 15:25 0 comentários
Matemática,
já dizia Deus,
é uma má temática.

sábado, 19 de outubro de 2013

Amo essa dor

Postado por MissHachi7 às 08:04 0 comentários

Ela não serve para mim,
eu sei que ela é
uma flor selvagem...

Ela tem uma inquietação,
uma beleza,
alguma coisa especial...

Mas aqui estou eu novamente,
chamando-a de volta,
deixando que me enlouqueça.

É como se eu amasse essa dor
um pouco demais,
adoro ter meu coração todo ferrado...
Ela tem alguma coisa especial,
simplesmente não funciona,
mas eu não posso ir embora...
É como se eu amasse essa dor...

Eu simplesmente fico ligado de novo,
e desligado mais uma vez...
Situação...

É um jogo certeiro,
uma combinação
de gasolina...

Mas aqui estou eu novamente,
acendendo tudo,
sabendo que ela vai me queimar...

É como eu amasse essa mentira,
mas nada está certo,
é como se eu não fosse eu mesmo
se eu não puder ser
uma canção muito, muito triste...

(Lady Antebellum)

A última dose

Postado por MissHachi7 às 07:50 0 comentários
mesmo se eu levasse
um tiro no coração
te amaria
por mais ou menos
seis segundos.
(D/A)

Quase a primeira tatuagem

Postado por MissHachi7 às 07:47 0 comentários
   Fui fazer uma tattoo. Apesar de geralmente não ter uma fibra moral muito consistente, acabei me convencendo de que ter um desenho permanente em mim pudesse melhorar minha auto-imagem.  Estava me sentindo corajosa e criativa o suficiente, enfim, estava no modo mental perfeito para algo assim. Afinal, vivia dizendo para todo mundo que ia deixar um braço e uma perna fechados! Se eu nunca fizesse a primeira, nunca chegaria nesse ponto excepcional.
   Como eu vivia sem dinheiro e minha pindaíba era pouco lógica para alguém que mora com os pais, tive que ir num tatuador desconhecido, cuja confiabilidade não me era assegurada, mas que fazia um precinho camarada e ainda oferecia de brinde uma dose de vodka para anestesiar um pouco mais os sentidos.
   Enfim, na hora combinada pelo telefone, rumei para minha aventura, gigantesca para o que chamam estilo de vida burguês e pacato.
    Tinha decidido tatuar uma frase em alemão.
   O cara que ia fazer o trabalho estava afiando uma faca quando eu entrei no estúdio (o qual, devo admitir, era de dar medo... ficava muito afastado de tudo, era escuro, tinha caveiras que eu rezava para serem de mentirinha espalhadas pelo chão e as coisas eram meio sujas. Bom, o preço ainda era pagável....), e, talvez soe meio preconceituoso da minha parte, mas ele não parecia saber fazer algo além de bater em pessoas e xingar.
   Eu já estava reconsiderando o tamanho da minha necessidade de uma tatuagem, mas tinha medo de dizer que não queria mais e ele me matar. Então entabulei uma discussão a respeito de onde seria feita a maldita - antes eu estava considerando deixá-la plantada sobre alguma vértebra, mas a mera possibilidade de ficar de costas pro mano com a faca me dava arrepios. Não, melhor não.

TATUADOR: Então no pulso, tanto faz.  
Mas e se ele me matasse cortando alguma veia mais importantinha?
EU: Eu ia acabar me cansando de olhar pra ela...
Oh, céus, a agonia da decisão. 
TATUADOR: Nas costelas?  
E se ele perfurasse meu pulmão?
EU: Ah, eu sinto cócegas.
Essa foi genial.
TATUADOR: Então que tal no pescoço?  
HAHAHA não. Cadê a vodka, cara? Talvez ajude.
EU: Sabe o que é, eu não queria fazer no pescoço, porque... hã... minha religião! Ela não permite que eu... escreva em alemão... no pescoço. Especificamente.
Oquei, estava ficando sem argumentos. 
TATUADOR: Olha aqui, moça, eu não tenho todo o tempo do mundo pra você, não. Escolhe aí e vamo começar.
Ele não largou a faca.
OHMEUDEUS.
Ele ia fazer NA FACA? 
Veio pro meu lado. Faca na mão.

A porta ainda estava aberta atrás de mim.

EU, saindo de ré, trombando em mesinhas, derrubando penduricalhos e quase caindo em um gato que dormia no caminho: Oh, olhe a hora, eu estou atrasada, fica pra próxima, senhor, obrigada pelo seu tempo, tome aqui as 20 pratas, eu volto depois, viu, não precisa ir atrás de mim, eu acho a saída, desculpa qualquer coisa, abraço.


"Wenn es hart auf hart sind, ist es besser, die Hölle aus dorthin zu gelangen."




terça-feira, 15 de outubro de 2013

Sobre a falta de relatórios

Postado por MissHachi7 às 17:26 0 comentários
Minha falta de relatórios deve-se unicamente ao fato de não acontecer nada de diferente... Continuo indo à academia. O remodelamento de treino foi marcado para o fim dessa semana, então nada vai mudar até lá... A não ser que eu quebre outro aparelho, então será algo relevante para contar. 

Fatos nada interessantes:
- de tanto "malhar" com a minha irmã, já consigo virar cambalhota para trás (tá rindo? Devia me VER fazendo isso ao vivo, ia rir mais!);
- existe um aparelho de ginástica que é uma combinação demoníaca entre uma bicicleta ergométrica e uma esteira: você pedala, mas não tem onde sentar. Recuso-me a saber o nome desse filhote de cruz-credo e ave-maria, mas devo registrar que a dor vem rápida e fácil com ele. Gasta-se mais calorias, mas a que preço, Senhor?;
- tem gente que para pra ver o treinamento que minha irmã me impõe. Sádicas;
- se você esquecer sua garrafinha de água em casa, é melhor voltar pra buscar, porque você vai MORRER sem ela.

THAT'S ALL FOLKS!

HAIKAI 36

Postado por MissHachi7 às 17:09 0 comentários
Me falta delicadeza?
Você acha?
Fala comigo pra ter certeza...

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Desnecessário

Postado por MissHachi7 às 13:32 1 comentários
   Quando era mais nova, eu não conseguia deixar um livro inacabado. Mesmo que  a história fosse insossa, o enredo fosse uma bela porcaria confuso, lia até o fim, por vezes me sentindo até aliviada por poder devolvê-lo,  doá-lo ou vendê-lo. 
   Acredito que essa mania tosca de deixar todo tipo de lixo entrar na minha cabeça foi traduzida em ações, e analogamente, deixo muita treta entrar na minha vida por falta de seleção. Conheço alguma daquelas pessoas que fazem mal, mantenho-me no relacionamento até o fim. Até não ter mais jeito. Tento fazer dar certo. Tento ser a melhor amiga. Até um dos dois querer ser homicida.
   E apesar de reconhecer o quanto isso faz mal, ocupa tempo e gasta meu parco estoque de paciência, tenho uma dificuldade clara em me livrar desse tipo de gente. Não por tenacidade da parte delas, mas porque eu sou extremamente apegada. Eles dizem que o masoquista se apaixona quando criticado, né?
   Eu não consigo deixar ir, acho. Há uns dias eu deixei uma dessas pessoas... depois de muitos anos. E apesar de achar que estou melhor, sinto falta (ironia). Tanta coisa que eu devia deixar mas não quero (burrice). Tanta situação que eu não precisava mas insisto em lidar (à toa). 
Damn.



sábado, 5 de outubro de 2013

Momento "Tô puta mesmo"

Postado por MissHachi7 às 09:25 0 comentários
Sendo eu declaradamente uma rebelde de pijamas, observo muitas situações erradas e que não posso [ou não quero, ou não considero conveniente, ou não me é permitido, ou] mudar. Isso me deixa tão terrivelmente puta da vida! Injustiças, falta de respeito, piadas ruins, comentários toscos, maldades gratuitas, tudo isso me leva ao cúmulo da ira, e como não há muito que eu possa fazer a respeito, venho escrever aqui. Por isso, queiram ou não, aqui vai a minha

Lista de situações que cutucam o serial killer em mim

- quando eu vejo que alguém está mentindo descaradamente sobre algo importante;
- quando gente que eu odeio vai tirar satisfações a meu respeito com meus amigos [fala na cara, seu bosta!];
- quando alguma coisa/pessoa/animal [mesmo que não me pertença] é maltratada(o);
- quando usam a capa do livro pra marcar páginas;
- quando amassam livros da biblioteca;
- quando fazem brincadeiras estúpidas como passar cola no cabelo da pessoa que está de costas, ou passar errorex na cadeira antes do colega sentar, ou puxar a cadeira pro outro cair, ou por o pé na frente, ou fazer o corredor polonês... bullies que se fodam;
- quando vejo uma criança humilhando a outra, mas já tem alguém que devia estar cuidando das duas, então não posso nem brigar com a malinha, nem chamar a atenção do responsável;
- quando fingem não me entender;
- quando esperam eu virar as costas pra me xingarem;
- quando qualquer um critica algo que não conhece, por exemplo, alguém que nunca leu Nietzsche a sério decidir que ele escreve de forma confusa. CONFUSA É SUA MENTE;
- quando egoístas ficam em cargo de decidir situações que influenciam muitas pessoas;
- quando riem de mim apesar de eu ter machucado de verdade caindo na rua (acontece com mais frequência do que seria de se esperar);
- quando exigem que eu decida as coisas depressa, mesmo quando são assuntos importantes e que demandam calma e análise ponderada;
- quando querem definir o que é melhor pra mim [se eu que sou eu não sei, como é que você vai saber, ô meu?];
- quando me abandonam;
- quando abusam da boa vontade dos outros;
- quando interrompem aulas, palestras, discursos por motivos estúpidos. 

~~provavelmente vou me lembrar de mais coisas com o passar do tempo... Ah!

- quando não consigo pensar em coisas diferentes.


Cunhados se defendem

Postado por MissHachi7 às 09:08 0 comentários
   Meu problema com a moda sempre foi a preguiça que tenho de acompanhar algo tão supérfluo e inconstante (é como tentar andar sempre atrás de uma pessoa chatinha, meio patty, e que é bipolar). Mas o problema passou a ser pessoal quando fui CATEGORIZADA como uma pessoa sem estilo. Quer dizer, VAI SE FODER. 
   Minha irmã do meio é bem preocupada com a opinião alheia e desde que se entende por gente tenta acompanhar os altos e baixos do que é ser fashion [estando sempre limitada a fatores como o bom senso dos mais velhos para saias curtas demais, e o orçamento familiar para acessórios que custavam mais que a própria roupa].
   E como era de se esperar, duas pessoas tão diferentes como nós geralmente têm dificuldades para entrar em acordos, ainda mais quando ambas são teimosas como mulas (essa expressão foi recém aprendida, beijos) e recusam-se a ceder em discussões de cunho eterno, como por exemplo, se ela teria coragem de sair com aquela saia horrorosa ou se eu ia sair com aquela roupa tosca de novo.
   Até aí, tudo bem, porque desde que ela nasceu nós moramos juntas e temos conversas similares, mas eis que na nossa última batalha alguém mais se envolveu: meu namorado.
   Eu estava tentando convencer Ananda de que se ela saísse da forma que estava vestida, iriam jogar lixo nela. Sim, eu sou dramática. Ela disse que eu estava redondamente [é, ela é bem implicante] enganada, e que sua roupa era linda e que estava na (eca) moda.
   Mas quando eu ia retrucar dizendo que ela mais parecia uma savana em chamas, acontece algo que me faz desistir da briga e ir sentar de frente pra parede, refletindo sobre minha vida, o Universo e tudo mais.
   Marcus comenta:
   "Ah, eu gostei."
Minha expressão no momento:



sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Pedi ajuda pra minha irmã

Postado por MissHachi7 às 17:47 0 comentários
   Como eu disse no último relatório, as coisas andavam meio fáceis no malhar nosso de cada dia, então, depois de passar 20 minutos de tédio dolorido na esteira, em 15 minutos, no máximo, eu fazia as sequências determinadas e ia embora. Mas, aparentemente, eu era a única feliz com a minha eficiência. Mamãe ordenou que eu passasse pelo menos uma hora (UMA HORA) na academia, para "fazer valer o quanto eu pago de mensalidade". Como a boa e obediente filha que sou, segui sua determinação bonitamente.
   De qualquer forma, eu só posso remodelar meu treino daqui a uma semana ("regras da academia"), então decidi improvisar para ocupar os meus 25 minutos restantes. Pedi a minha irmã Ananda [que, a propósito, tem ido comigo todos os dias] que me ajudasse a fazer alguma coisa sem envolver os aparelhos de musculação para passar o tempo e queimar calorias. 
   Bom, antes de mais nada, devo ressaltar que Ananda faz ginástica rítmica e artística, faz aulas de jumping, luta, dança axé e gosta do Luan Santana (essa última não tem nada a ver, mas faz parte da definição), ou seja, tem mais energia do que eu, fácil.
   O primeiro dia foi engraçado, porque ela tentou me ensinar a fazer flexões (eu fiz uma), abdominais (essa eu achava que sabia, mas do nada ela me aparece com seis formas diferentes de abdominar. Mandei se foder), virar cambalhota (risos) e sustentá-la usando apenas as pernas (ela caiu). A personal ficou nos rondando porque só rimos o tempo inteiro.
   No segundo dia, no entanto, minha irmã se tornou uma gerente de campo de concentração irritada e mandona, cheia de ânimo para dar ordens e "fazer isso direito", determinando um número mínimo de movimentos pra cada tipo de exercício (graças a Deus ainda é só uma flexão), contando em voz alta e batendo palmas pra me fazer ir mais rápido (como se isso adiantasse), pulando ao meu redor pra me animar e fazendo abdominais comigo. É como voltar à prisão.

   Chega logo, data de remodelamento de treino!

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

HAIKAI 35

Postado por MissHachi7 às 17:48 0 comentários
Medo de solidão
não é brinquedo!
Não me deixa não...

Desabafo sobre correr

Postado por MissHachi7 às 17:45 0 comentários
Uma das coisas mais difíceis na minha vida (consideração que, agora, me faz ver: tenho muita sorte) é correr. Quer dizer, comendo tanto quanto como e pesando tanto quanto peso, provavelmente qualquer um teria as mesmas dificuldades nesse aspecto. A questão é, eu não aprendo. Ou melhor, até aprendo, mas muito devagar! Primeiro, respirar é difícil. Nem tanto por não conseguir dominar as técnicas e etc., mas principalmente por eu precisar usar dois tops e um sutiã para me exercitar. Isso espreme meu sistema respiratório. Eu continuo chegando ao ponto de quase vomitar os pulmões, não importa o quanto eu insista. Tá achando que sou exagerada? Estou tentando há um mês, e o máximo que cheguei foi a 5,6km/h na esteira. Por outro lado, quando eu aumento um tiquinho só, tudo vibra, balança, e parece que a esteira vai explodir, e cada passo meu ecoa na academia inteira, e eu fico com medo de quebrar aquela budega, porque eu peso 110kg e acho que já li em alguma das 500 etiquetas de lá que o máximo suportado é 100kg. 
O que significa que potencial pra explodir, TEM. 
Hoje vou tentar 5,7km/h, mas é por conta e risco DE VOCÊS.

Como você salvou meu dia de novo

Postado por MissHachi7 às 16:21 0 comentários
Você estava me esperando para o melhor abraço do mundo.
Obrigada por sempre tornar minha vida um lugar mais feliz,
com cócegas, abraços e sorrisos.
Te amo.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

O que foi que você fez?

Postado por MissHachi7 às 17:07 0 comentários
 
Você se importaria se eu te machucasse?
Entenda que eu preciso fazer isso...
Eu gostaria de ter outra opção
a não ser machucar a pessoa que amo...

O que você fez agora?

Eu sei que seria melhor eu parar de tentar...
Você sabe que não há como negar,
eu não mostrarei compaixão por você agora!
Eu sei que deveria parar de acreditar,
eu sei que não há retorno,
está acabado agora, 
o que você fez?

Eu, eu estive esperando por alguém como você!
Mas agora você está indo embora...
Por quê? Por que o destino nos faz sofrer?
Há uma maldição entre nós, entre eu e você...

Você se importaria se eu te matasse?
Você se importaria se eu tentasse?
Porque você se transformou no meu pior inimigo,
você carrega um ódio que eu não sinto...

Eu não cederei, 
não desistirei,
nós seremos livres
quando isso terminar...

(Within Temptation)

Essa doeu

Postado por MissHachi7 às 16:53 0 comentários
"Palavras não servem pra te dizer o que eu sinto por você porque... eu não sinto nada por você."

Filosofia matrimonial ou não

Postado por MissHachi7 às 16:38 0 comentários

   A gente pensa "poxa, ele é tão legal, imagina se ele não fosse tão emocionalmente dependente dos amigos, da namorada, dos pais!", mas não pensa que o fato de ele ser dependente não apenas deriva de vários outros fatores, como também integra os vários aspectos da sua personalidade. Quer dizer, a dependência dele influi em todos os outros relacionamentos que podem vir a ser estabelecidos, nas suas considerações antes de tomar uma decisão, nas escolhas que fizer sobre sua vida e o que mais tiver como pré-requisito seu crivo moral e intelectual. 
   Baseada nisso, e divagando um pouco, acabei pensando: por que há tantos divórcios? 
   Fui ler a respeito e, de fato, as pessoas se casam pensando não em como estão com alguém que amam e as faz felizes, mas em como está com um "diamante bruto". Pensando que vão conseguir mudar aquele detalhe que as incomoda, que vão consertar o que as desafia, ou, para resumir, que vão aparar essa única aresta, esse único ponto de que não gostam. A questão é, uma pequena alteração pode mudar todo o conjunto! 
   Você acabar com a mania que ele tem de, por exemplo, rir alto, pode afetar todo um complexo de atitudes de que você não gostaria de abrir mão nele. 
   Reprimir a mania dela de conversar gesticulando pode suprimir outras formas de expressão. 
  A censura e a vontade de "consertar" o outro é que leva àquela discussão fatal, tão hipócrita e carregada com um tom acusatório: "você mudou!".
   Bom, sejamos no mínimo coerentes.
 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review