terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Aventura Capilar

Postado por MissHachi7 às 18:30
   Bom, eu tinha avisado os senhores de que iria pintar meu cabelo pra mamãe não grilar comigo e com a minha ida pra Araxá (tinha sim! aqui), então ontem fui até o Shopping com as minhas irmãs para acompanhá-las e aproveitei pra comprar uma tinta preta pra pintar meus cabelos. 

Normal, certo? Agora, atualizando você:
- nunca pintei o cabelo sozinha, sempre contei com a Nady pra isso;
- meu cabelo não é preto;
- não tenho dinheiro, então pense numa tinta barata.

   Enfim, cheguei em casa, fui pro banheiro, isolei a área e comecei a trabalhar. 
   Abri tudo, misturei o oxidante com a coloração, bati aquela meleca, deixei pronto. Prendi o cabelo pra deixar só as mechas de fora (e a Nady sabe disso, mas toda vez que vou fazer essa manobra acabo prendendo partes coloridas que só aparecem de novo quando solto e já devia ter pintado tudo, mas calma), respirei fundo e comecei a espalhar tinta na parte roxo-rosa-vermelho-alaranjada... para então me lembrar de que não sabia quanto tempo tinha que deixar fazendo efeito, e fui - só então - abrir as instruções... 
   E notei que havia luvas de plástico lá dentro, embrulhadas com o manual. 
   Hum. 
 
   Enxaguei tudo numa pressa frenética e senti um leve pânico quando reparei que não saía, mas como meu cabelo ainda não estava pronto, tentei me acalmar.
   Amaldiçoando o idiota que embala as luvas escondidas, e amaldiçoando minha idiotice por me esquecer de procurar pelas luvas, calcei as benditas e voltei a espalhar a tintura nas mechas. Aí um pedaço escorregou da minha mão e acertou meu rosto, deixando um lindo traço preto. Decidi que não era importante, mas que devia me precaver para que isso não acontecesse de novo. Coloquei tudo dentro da pia e fui procurar um hidratante para espalhar pelo rosto.
   Quando voltei, até soltei um gritinho: as luvas mancharam a pia. Mas não tinha como eu lavar na hora, porque tinha um monte de coisa lá dentro. Então pensei, vou acelerar esse processo, e enquanto eu espero os 40 minutos da tinta, limpo tudo isso. Bom, nesse momento reparei que minha blusa já estava cheia de respingos pretos. Anem.
   Meio tarde, tomei a sábia decisão de tirar a roupa (a partir de agora, crianças, fechem os olhos) e as coisas não pioraram muito, exceto algumas gotas que caíram no chão e na pia, nas minhas pernas, na minha barriga e os lugares onde meu cabelo passou e deixou algumas marcas, como meus braços e nos meus peitos, e na parede e no box. Até comecei a cantar Heart Attack, mas meus irmãos me mandaram calar a boca.
   Eu tinha 40 minutos para gastar, então limpei a pia, joguei todas as embalagens fora, consegui me livrar da tinta que havia na pia e na estante... e quando olhei de novo, notei que havia pisado em algumas gotas de tinta e sujado o banheiro todo com as minhas patas lambrecadas. Ódio. 
   Taquei óleo em cima das manchas pra ficar mais fácil de tirar, e fui olhar como meu cabelo estava ficando. 
   Mexi um pouco e vi que a parte de trás (como sempre) estava sem tinta, ou seja, laranja como uma... laranja brilhante comparação, eu devia ser poetiza. Mas na minha limpeza eu já tinha lavado a vasilha de tinta e não tinha mais pra retocar. Então liguei o foda-se. 
   Meu celular avisou que alguém estava falando comigo pelo chat, e eu fui correr pra ver quem era e escorreguei no óleo e caí, sujando mais um pouco o chão, que já estava irreconhecível.
   A essa altura do campeonato, eu já estava me perguntando por que tinha decidido fazer isso sozinha, quando o alarme soou, avisando que já tinha dado o tempo. 
   Como eu havia jogado fora o manual, não lembrava se tinha que lavar com xampu ou só enxaguar mesmo, então decidi só enxaguar e depois passar o pós-tinta, e rezar. Eu era um panda nesse ponto, cheia de tinta por todo lugar... O banho foi quase um pagamento de pecados e quitação de karmas. Ó, Grande Rei do Terror, por que uma água tão quente e uma bucha tão áspera? 
   Mesmo assim, as manchas não cederam, ainda me recuso a sair de casa, porque né? Ridículo.
   Consegui deixar o banheiro apresentável, mas meu cabelo está interessante. Ele é castanho e tem pedaços preto-azulados saindo dele, com uma raiz laranja. 
   Pode vir ver, minha irmã mais nova está cobrando ingresso pra me apresentar pros outros.

MORAL DA LONGA HISTÓRIA: nenhuma, é só pra contar como foi, mesmo. Ah, não, tem uma sim: leia as instruções antes de mexer com tretas químicas. Hã, e peça ajuda. E se for difícil demais de fazer, é porque não nasceu pra ser feito.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review