segunda-feira, 24 de março de 2014

Pena

Postado por MissHachi7 às 00:29 0 comentários
Queria ter inspiração como tenho ansiedade, cês iam ter muito mais posts legais.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Como as coisas vão

Postado por MissHachi7 às 15:44 0 comentários
   Apesar de ninguém ter me perguntado, vou contar como tem sido morar fora de casa.  



   Para quem não sabe, eu saí de Uberaba e vim para Araxá a fim de fazer Engenharia de Minas. Sim, eu também duvido. De qualquer forma, cá estou há 4 dias e já tenho feedback para os senhores [sim, porque QUEM precisa de mais que 4 dias para ter uma impressão geral a respeito de algo? lerdos]. Para não ficar prolixo, vamos trabalhar com tópicos.

Morar sozinha - solitário pra caralho, chorei igual uma desgraçada todas as noites, mas ontem a Leni conversou bastante comigo e decidi que não vou mais chorar, porque é uma falta de vergonha na cara. Está tudo bem, pra que chorar? Vai estudar, sua à toa, ocupa a cabeça, escreve no blog, liga pra alguém, vai andar por aí, conhecer a cidade [isso eu não faço, porque honestamente, o caminho da faculdade até aqui já é extenso o suficiente, obrigada]. É bom ter silêncio para ler e costurar, mas faz falta ter aquele barulho de fundo, aquela zoeira de Luan Santana e risada de irmão mais novo.

Comida - no CEFET tem o restaurante subsidiado pelo governo, então eu só não como granola o dia inteiro porque almoço lá; fora isso, tomo um daqueles shakes diet de manhã e passo a tarde comendo granola [sem interrupção - sim, estou comendo agora]. A menina que mora aqui ao lado não sabe como não passei mal até hoje. Na verdade, não sabe que eu passei mal hoje.

Trote - eu andei na linda posição kama-sútrica do "elefantinho", fiquei andando em fila indiana pela faculdade, fui suja de tinta, tudo bonitinho como manda a estúpida tradição... mas passei mal e fui embora antes das fotos, ou seja, não há provas de que participei, porém estive em quase 45% da zoeira toda. Não adianta perguntar pra galera, ninguém me notou, porque sou discreta [aham], mas a tinta na toalha e nas roupas não deixa margem para dúvida. Não foi divertido, mas também não foi o fim do mundo, como alguns fazem parecer. Quem coordenou foi a galera da Atlética, e foi uma gracinha. Pelo menos até chegar a chuva. Aí virou uma melequera de tinta e ainda bem que eu não estava mais lá.

Organização - já falei muitas vezes sobre o quanto não tenho hábitos organizativos nem muita decência para a colocação de ordem nas coisas, mas como aqui eu fico 17 horas por dia enfurnada no meu quarto, acabou que eu tenho como passatempo ficar arrumando as coisas. Até trocar lençol, trocar fronha de travesseiro [hábitos em que eu não acreditava] estou trocando (pf, ainda estou no quarto dia, em um mês já não tem nem lençol mais), mas tudo isso é excesso de tempo livre.

Estudos - olha, é o quarto dia, tem professor que nem existe ainda, tem matéria que não temos... até agora só Química Geral [a professora chegou e aplicou uma prova, no lindo primeiro dia de aula... ela chamou de "diagnóstica", foi adequado, o resultado foi "o que você está fazendo aqui?"], Geometria Analítica [que, como eu me lembrava do colegial, é um porre e difícil ao mesmo tempo, ou seja, mágica], Cálculo 1 ["a única coisa que vocês não vão aprender na minha aula é a calcular" O.O] e Programação de Computadores 1. Dá um pouco de medo esse "1" na frente das coisas, porque implica que haverá mais. Droga. Em cálculo só 2 alunos foram aprovados sem exame especial, isso me deu medo. MUITO. MEDO.



É basicamente isso, pessoas, tá ruim mas tá ótimo, essas tretas fazem parte da vida. Só algumas conclusões:

- se nesse regime alimentar eu não emagrecer, sou podre por dentro;
- se meu sobrenome não fosse Madruga poderia ser Saudade, porque pqp;
- eu estou postando menos porque a internet aqui é tosca;
- quando eu for veterana vou ser muito legal com meus bixos;
- agora eu amadureço;
- andar de ônibus é uma bênção;
- minha família e meus amigos são o que me impede de pular da janela em dias como esses 4 últimos.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Fim de relacionamento

Postado por MissHachi7 às 20:25 1 comentários
   Aprendi essa semana uma pérola da sabedoria humana que nunca havia de fato me sido apresentada. Vamos refletir. Sabe quando você termina um relacionamento [não precisa ter durado muito, mas que tenha sido intenso], e fica aquele "sei lá"
   Pode ser vontade de voltar, ou vontade de matar, ou vontade de procurar logo outra pessoa, ou de ficar sozinha pra sempre, ou de gritar loucamente, ou de comer mais loucamente ainda... a gente chama isso de "sei lá", é um termo científico, relaxe.
   No meu caso [e eu adoro compartilhar esses detalhes bizarros da minha vida com vocês], eu quis procurar logo outra pessoa, e fazer de conta que nada tinha acontecido antes, e evitar pensar a respeito. Até considerei ficar com garotas, só queria não me preocupar com o relacionamento que eu havia tido [havia tido é uma construção porca, mas... foda-se]
    Enfim, estava falando sobre isso com algumas pessoas [algumas tinham acabado de acabar, outras (meu irmão) tinham acabado de começar um namoro... life]. EIS que levei um pequeno choque.

 

   Quando você termina um relacionamento, merece um tempo para reflexão. Não para martírio, não para ficar se culpando ou questionando o que levou tudo ao colapso [a gente faz isso, mas não deve], o tempo deve ser para se organizar nos seguintes aspectos: 
o que eu posso mudar em mim para evitar atritos desnecessários? 
o que já sei que não vou aceitar nos comportamentos do próximo? [adoro pensar assim, amar o próximo] 
quais os meus maus hábitos? 
de quais não abro mão? [porque a gente tem essa coisa de reconhecer defeitos nossos e abraçá-los - recomendo abraçar seus demônios, faz bem, mas expulse alguns para não lotar o sótão]



EU NUNCA PENSEI NISSO - cara, eu entrei tão tarde nesse negócio de sair com outra pessoa planejando vida, caralho... e mesmo assim não adiantou nada! Sim, porque antes da prática [nass, bem antes], eu já lia a respeito, comprava livros escritos por especialistas, pesquisava na internet em sites pornô, inquiria amigos, vizinhos e desconhecidos, queria saber tudo certinho para jamais estragar as coisas, para nunca ser a pessoa que arruína tudo... bom, nota-se que a teoria não me ajudou muito, pois em TODO relacionamento em que me meti, quem ferrou os esquemas foi eu [ou fui eu? hm]. E não dei tempo algum pra pensar [os passos que eu dava após um término eram... da cama até a porta, PRÓXIMO!-n], e aí uma coisa foi embolando na outra  e no final não apenas não aprendi porra nenhuma, como perdi tempo e desperdicei XPs com quem não me levava a sério. Life.



Então, como a pessoa adorável que sou, fico me fodendo pra contar pra vocês como a vida é antes de vocês chegarem lá. Não cometam os mesmos erros que eu, cometam OUTROS e vamos trocar cartinhas, assim a gente chega no check out da existência sabendo TUDO! Ou muita coisa, que seja...

quarta-feira, 12 de março de 2014

Flashbacks da vergonha

Postado por MissHachi7 às 18:57 0 comentários


- tentando pegar um lápis do chão sem sair da cadeira e caindo de quatro, com carteira e tudo;
- cantando We are the world e não conseguindo alcançar as notas porque o medo estava fechando minha garganta;
- quebrando várias cadeiras de plástico no jardim de infância [sim, sentando nelas];
- a professora do jardim de infância me obrigando a usar cadeiras de metal em vez das coloridas e meus coleguinhas rindo de mim;
- respondendo a acenos que não eram pra mim [acontece mais do que eu gostaria seria normal];
- todas as broncas que já levei de todas as pessoas que eu conheço [da Leni até minha mãe, passando pelos diretores das escolas em que estudei e professores que nem me davam aula];
- contando pras pessoas que tinha abandonado o curso de psicologia;
- meus avós me consolando por não ser bonita com o fato de eu ser "inteligente";
- todas as vezes em que saí de casa com a camiseta do avesso ou virada pra trás;
- experimentando roupas em praticamente todas as lojas do maldito shopping e nenhuma servindo, delícia;
- aulas de natação;
- academia;
- interpretando [de zoeira] dramaticamente um texto no meio da aula, na sexta série, sem notar que a professora havia parado tudo e todos estavam me observando;
- respondendo às perguntas de "já passou no vestibular?";
- dando um selinho num colega que veio me cumprimentar [e ter que escutar os outros zoando a cara dele, como se me beijar fosse a coisa mais nojenta que alguém pudesse fazer];
- indo ao shopping de pijama porque "ninguém que eu conheço vai ao shopping a essa hora, foda-se" e encontrando praticamente todas as pessoas que eu conheço;
- respondendo perguntas simples complicadamente e parecendo uma idiota ["qual sua música favorita?" "bom, dependendo do meu estado de espírito isso pode variar, inclusive fica a cargo de onde estou ouvindo a música e se aconteceu alguma coisa antes de eu ir escutar, quer dizer, não tem como eu escolher assim, do nada, só que eu diria "no air", apesar de algumas vezes eu colocar "fuck you" do cee lo green, pra me sentir melhor, mas só se alguma coisa ruim tiver acontecido, aliás..."];
- pedindo atenção e sendo ignorada.

terça-feira, 11 de março de 2014

Eu não quero um namorado...

Postado por MissHachi7 às 21:16 0 comentários

Eu não preciso do drama.
















Como lidar com a rejeição

Postado por MissHachi7 às 20:13 0 comentários
Então, como alguém que já foi rejeitada de várias formas e por diferentes ângulos, quero dividir com vocês algumas das minhas experiências. Algumas delas são um "não, não", mas deixo a separação do joio/trigo para a consciência dos senhores. Aqui vão as ideias brilhantes da Hachi para o caso de você ter sido rejeitado...


- ligue para o seu melhor amigo, ele saberá fazer você se sentir melhor a respeito;
- escreva o que aconteceu, exagerando os fatos e falando muitos palavrões por entre a história - depois queime ou publique no blog;
- console-se relembrando falhas alheias;
- participe de trabalhos voluntários [não importa o tamanho da sua frustração, o trabalho edificante consola corações e nos lembra de sermos gratos pelo que temos];
- converse com amigos que fazem Psicologia [apanharei por essa];
- reflita sobre o que levou tudo a culminar na sua rejeição, culpe alguma coisa: a lua, o clima, as circunstâncias [mesmo que saiba que foi sua responsabilidade - ficar se culpando não ajuda em nada, nunca];
- tome sorvete ["e fica frio, irmão"];
- soque uma parede ou uma porta [mas não com muita força, um amigo meu já quebrou a mão numa dessas];
- embole-se em edredons, enfie a cara num travesseiro e grite até seu cérebro começar a zunir, e depois durma;
- isso, durma [durante o sono somos reconstruídos para enfrentar melhor as fodacidades da vida];
- ouça músicas que ocupem a cabeça [não que te façam pensar, você não quer pensar agora; ouça algo que faça tanto barulho que não permita que os pensamentos se tornem coerentes];
- assista a seriados em que as pessoas passem por tretas como as suas [quando levei um fora no dia dos namorados, assisti a oitava temporada de Friends, onde o Ross também leva.... me senti melhor];
- brinque com cachorros [você vai se esquecer de tudo com tanto amor];
- siga em frente [dependendo de onde veio a rejeição, tente de novo; mas se foi alguém que fez isso com você, perdoe e esqueça, venha pra cá e vamos comer bolacha com Nutella e continuar com a vida...].


Se nada der certo, vem falar comigo que eu não vou rejeitar você, viu? *abraça*

segunda-feira, 10 de março de 2014

HAIKAI 50

Postado por MissHachi7 às 23:32 0 comentários
O lado bom da ironia
é que você pode rir com vontade
mesmo sem alegria.

Voltar com ex?

Postado por MissHachi7 às 21:09 0 comentários
   Olha só, eu estava com fome e a única coisa de comer que tinha em casa era um abacaxi, eu descasquei e comi inteiro sozinha. 
   

   Estava pensando em coisas do coração [pf], e sobre como as pessoas reagem a elas, então fui pesquisar nessa massa de opiniões controversas chamada internet a respeito de ex's. Claro que tem um pouco de experiência própria no meio do que vou dizer, mas como saber se estou falando de mim ou dos outros? Pelo ódio intrínseco, claro. Vocês me conhecem tão bem.
   Antes de mais nada, há pessoas que falam mal de ex. E essas são provavelmente as que se reproduzem mais rápido. Eu gosto de chamar isso de "cuspir no prato em que comeu", porque geralmente quem criou expectativas demais foi a criatura que está difamando a outra. E apesar de saber o quanto é difícil não criar expectativas [comem tão pouco! multiplicam tão fácil! deixam a gente fazer carinho!], ficar se iludindo enquanto as coisas dão certo só faz o esquema ser mais fodido quando dá errado. Eu culpo o iludido.
   Como me foi ensinado para viver socialmente, tem que confiar desconfiando. 
   Tem que ser feliz, claro, não seja pessimista. Eu faço isso por você. 

   Agora tem as pessoas que ficam voltando com ex. E vou ser bem sincera, essa ideia passa pela minha cabeça de vez em quando [calma, Andressa, não é o último, é o outro, não queira me matar], e sabe o que me afasta da execução? Ele ter se mudado de cidade. 
Mentira verdade, existem outros motivos para não voltar para o ex. Pense por esse lado, só porque não aparecem novos amores, não significa que você deva repassar a lista dos que já foram. Significa que você tem que frequentar lugares diferentes [não me julgue, é só uma opinião], conhecer gente nova [não pela internet, mano], e parar de procurar o amor da sua vida, porque é assustador falar com pessoas cujo objetivo é encontrar a outra metade da laranja. Não sou eu quem vai julgar você, mas que soa como se você não tivesse nada pra fazer, soa.
   Outra coisa [e isso foge um pouco do assunto, mas na minha casa eu falo sobre o que eu quiser], quando eu observo o comportamento dos ex's em geral e observo o meu comportamento, eu me sinto muito bem por não ter requintes de crueldade com as pessoas como elas tem umas com as outras. Porém, ao mesmo tempo, imagino que eu deva ser uma vadia muito louca em algum sentido desconhecido [por mim], porque, honestamente, que outra explicação você daria para o fato de todos terem terminado comigo e eu nunca ter terminado com nenhum? Sou uma ex terrível.
   E voltar pra ex [viu? a gente vai e volta nos assuntos, é como uma conversa em casa, mesmo], no fim, parece uma associação entre desespero [que eu conheço], carência [conheço] e tempo livre [conheço demais]. Porque se você está realmente considerando ficar de novo com alguém que tinha decidido não pegar mais [não gosto do termo pegar, mas estou com pressa pra pensar em sinônimos agora], talvez isso seja apenas um lapso de memória! 
SIM! Significa que você não está se lembrando dos seus motivos para deixar a pessoa! Faz sentido.
   Porque convenhamos, se não for falta de memória, é falta de amor-próprio. O outro que terminou com você e acha que pode ficar indo e voltando a hora em que ele/ela quiser? Você permite isso? Quer uns tapas? Eu te cedo alguns, ouvi dizer que são bons para trazer de volta seu senso de realidade.

   Já argumentei contra, agora posso argumentar a favor. Hum... de vez em quando [nem sempre] algumas pessoas [nem todas] merecem uma segunda chance [mas só uma, não abuse de si mesmo nem desperdice o tempo de vocês]. Pronto, já é mais do que eu acredito de fato. 

sábado, 8 de março de 2014

L-SUN

Postado por MissHachi7 às 12:38 0 comentários

(Feliz Aniversário para um cara que é másculo em todos os sentidos)

 Antes de mais nada quero contar que estou usando seu computador sem sua permissão para escrever isso, aproveitando que você está na escola. Desculpa.

   Você tem estado super ocupado com o terceirão e o curso, e tudo, então ultimamente não temos conversado tanto, mas acho legal o quanto continuamos sendo melhores amigos nos raros momentos em que o Robson não está lá pra me substituir [zoei grandão].
   Sei que a zoeira sobre o fato de seu aniversário ser no dia da mulher não tem mais graça, mas feliz dia da mulher, porque eu não me canso de piadas ruins.
   Você sabe como eu vivo me enganando e frustrando com os caras que aparecem na minha vida, achando que são incríveis e no final sempre me dando mal. Você foi o contrário. Quando era pequeno, eu te achava a criatura mais irritante e malvada do mundo, e com o tempo você se tornou um adulto [bizarro], mostrando mais maturidade que eu em várias ocasiões e ouvindo minhas reclamações sobre tudo [inclusive quando eu reclamo sobre as mesmas coisas várias vezes, de novo e de novo], e tentando me ajudar com conselhos e comida.
   Imagino que com toda a correria que anda rolando na sua vida, você não vá sentir tanto minha falta quanto as meninas, mas cara, como eu vou sentir a sua.  
   Agora que você tem 17 anos, creio que fará mais sentido seu 1,97m de altura, então isso é mais um motivo pra comemorar. Eu adoro andar por aí com você e encarar quem te admira tempo demais [ah, os bons hábitos]. Você é como um irmão mais novo que parece irmão mais velho, mas sem o ciúme característico, o que é triste porém aceitável.
    E parece coisa de criança, mas eu fico muito feliz quando você pede minha opinião para coisas importantes, mesmo depois de eu ter sido super ridícula a respeito de outras situações em que você me pediu ajuda [até hoje me sinto mal]. E eu me sinto ultra relevante quando você diz "o que você acha sobre isso?". A ponto de ser uma vadia de vez em quando, abusando do poder.

   Então mais um feliz aniversário para você, Álisson, meu querido, eu amo você mais do que você me ama [mas isso é fácil], e desejo do fundo do meu coração que esse ano seja de muitas conquistas e sucessos, de muito amor [aham, aham] e paz interior [porque tranquilidade em ano de vestibular não existe, eu sei]. Você é uma das pessoas que merecem ser genuinamente felizes, mano. Então seja feliz. 
   E continue me emprestando coisas sem saber, porque eu acho fantástico. 

quinta-feira, 6 de março de 2014

Reprovada 2

Postado por MissHachi7 às 20:29 0 comentários
Pense numa pessoa com cara de tristeza. Agora dê zoom nessa cara de tristeza. Sou eu. Viu?



   Fui reprovada de novo, ô, agonia. A baliza até que saiu mais ou menos [depois de ter saído com o freio de mão puxado, deixar o carro apagar durante a ré, xingar a Aline em voz alta, errar as referências duas vezes... ALIÁS, se eu não POSSO usar o retrovisor para ajustar a baliza, POR QUE eu aprendo a fazer baliza olhando pro retrovisor? Só não faz sentido...], e fui aprovada na primeira parte. Comemorei cedo demais. 

   Assim que saí com o carro, fui, e fui, toda vida indo, até que o examinador se virou pra mim, perplexo:
- Você não vai parar?
- Uai, não, por quê? - eu respondi até sorrindo, feliz por não ter deixado o carro apagar nenhuma vez, e por ter dado seta para virar, e por ter soltado a droga do freio de mão, e ter colocado o cinto de segurança, cheia de confiança na minha rampa e torcendo pra ele me mandar fazer uma ré contínua...
- Você está na contramão faz um bom tempo, moça.

   Infelizmente essa é uma falta eliminatória e eu já desliguei o carro e fui mandada de volta pro meu instrutor, que não acreditou no tamanho da minha estupidez [eu acreditei, porque vivo com ela desde que nasci, obrigada], mas tentou fazer eu me sentir melhor lembrando-me de que se o fato de eu não passar na prova de rua era o único problema da minha vida, minha vida era boa demais. Não é o único problema da minha vida, mas achei legal da parte dele.
   Daquela outra vez em que fodi os esquemas dirigísticos saí chorando, porque havia errado uma coisa que sabia fazer, mas dessa vez eu saí rindo histericamente, porque nem me lembrei que existia mão, contramão, tinha tanta coisa mais importante pra fazer [aham, Aline, esquece do básico, filha da mãe, causa um acidente!]
   Eu não conhecia a rua onde entramos, então errei sem saber! Foi um erro ridículo, porém MUITO menos pior do que errar coisas que eu tinha praticado exaustivamente e que não aguentava mais fazer. 
   Enfim, mais um papelzinho escrito "reprovada". PRA COLEÇÃO!

   Não se enganem, estou apodrecendo por dentro de tanta raiva, apenas escolhi não ser pessimista a respeito.

PS: o lado bom é que o Lúcio veio aqui em casa e passou a tarde comigo, comendo coisas que vão parar nas veias dos nossos corações, assistindo Friends, e não tem como alguém demonstrar amor melhor do que dessa forma. Obrigada! *_*

quarta-feira, 5 de março de 2014

Melhor sem amor

Postado por MissHachi7 às 16:56 0 comentários
  

 Uns amigos vieram comentar comigo que o blog está mudando [opa, alguém reparou!], que eu não ando falando sobre amor como costumava falar e tenho criticado muitas coisas com uma agressividade desnecessária. Bom, na minha opinião, agressividade nunca é necessária, mas combina bastante com meu estado de espírito atual, por isso estou usando mesmo, desculpa.
   E sobre a falta de amor, é, pode me chamar de mal-amada, mas acontece que eu passei 2013 inteiro enrolada, então o Grande Rei do Terror não me deu nenhuma pausa para desenvolver autocrítica nem melhorar a seleção, então de janeiro a novembro, eu estava "apaixonadinha", reparem, nesse período eu estive meio melosa e romântica e fofinha e falando das coisas do coração como se fizesse alguma ideia do assunto. Não que eu estivesse enganada, na hora tudo fazia muito sentido. 
    No entanto, como já disse antes, parece que a vida está me dando um tempo, e não tem nenhum cara que eu esteja perseguindo no momento. Até tinha, mas ele sumiu no carnaval, e se você não pode confiar em uma pessoa no carnaval, por que confiaria em qualquer outra época do ano? 
   Enfim, não tem ninguém para eu me importar a ponto de ser doce e afável, escrever poemas ruins e querer postar músicas lindas.
  Então, como um exercício saudável de bullying contra mim mesma, quero fazer um revival com alguns dos momentos mais piegas da história [ainda curta, mas intensa] do "Casa da Hachi", desde quando ele ainda chamava "Aline's Line" [ninguém é dessa época, só eu...].

2009 
2012
2013



   Vamos concordar, vocês me preferem como estou agora, né? O amor tira minha habilidade de fazer comentários sarcásticos. E meus assuntos ficam repetitivos, nada se desenvolve tranquilamente sem acabar estacionando no quanto eu estou apaixonada [eca],. Depois dos acidentes relacionamentais que aconteceram, algumas pessoas vieram recomendar que eu não perdesse minha habilidade de amar e ser carinhosa. Bom, perguntem aos meus amigos, eu continuo sendo um amor de pessoa. Só estou evitando associar isso com pegações, porque estraga todos os esquemas sinápticos aqui. 
   Antes uma pessoa "sozinha" e divertida que uma toda enrolada com caras que a deixam melindrosa e com medo da vida. Ultimamente até eu ando gostando mais de mim... Foda-se o resto! 

terça-feira, 4 de março de 2014

Lógica Hipócrita

Postado por MissHachi7 às 17:23 0 comentários
   

    Se você conhece mais de dois seres humanos sabe que infelizmente a hipocrisia compõe grande parte da galera. E tendo reconhecidas em mim mesma atitudes hipócritas, quero falar com vocês para tentarmos erradicar, pelo menos do nosso círculo de amizades, esse tipo de pensamento que causa tanta discórdia e mágoa. 
   Primeiramente, gostaria de reforçar: ao dormir, repasso meu dia e vejo muitas falhas; entre elas, percebo que permito que minhas ações e meu discurso tomem rumos diferentes e esforço-me no sentido de evitar repetir a bobagem. Então o fato de eu indicar a filhadaputagem alheia não significa que eu esteja sentando sobre meu próprio rabo. Hakuna your tatas
   Uma das hipocrisias que mais me irritam é o moralismo. Todos os dias sou afrontada [ou vejo alguém sendo afrontado] a respeito de ideias e comportamentos que não dizem, em absoluto, respeito a quem vem miar. Tatuagens, piercings, sexo, palavrões - todos criticados por: 
a) quem queria estar fazendo tudo isso e não pode; 
b) quem faz tudo isso e esconde dos outros para não manchar uma imagem de puritanismo. 
   E no fim, nada disso é da conta dos outros, então mesmo que sua conduta e seu pensamento sejam coerentes na "pureza"... isso devia ser uma questão de consciência, não de alarde público. 
   Outra que me mata é a da opinião. Você sabe como funciona. 
   A pessoa vem, pergunta sua opinião, você dá, e ela diz "você tá errado", e começa a te soterrar com argumentos para provar que a dela é melhor, a mais certa, a verdadeira [até que não é tão ruim, a coisa fica chata quando começam a citar a Bíblia, aí eu peço licença]. Quer dizer, você só quis saber o que eu pensava pra comprovar que eu era uma alienada, enganada, e que você sabe mais e pode me esclarecer? Ah, obrigada. Hipócrita! Chame para uma discussão, não venha como quem não quer nada! Não chegue como se estivesse tudo bem para DO NADA condenar tudo. Isso mata você.
      Agora um clássico. A pessoa tem o desplante de criticar seu jeito por aí... para imitar depois. Eu não posso nem falar muito, porque imagino que seja algum problema psicológico, mas só para constar, isso irrita e desperta instintos negativos. Abaixo de zero. piada ruim

       Para concluir, sugiro uma auto-análise. Será que eu faço isso? Que outras formas de hipocrisia eu permiti que se instalassem em meus hábitos? O que posso fazer para ser menos mala com meus amiguinhos? 
      Acreditem, isso pode salvar a vida de vocês. Mas se tudo mais falhar, eu vou estar aqui para um tapinha nos ombros e um "eu avisei", relaxem.

HAIKAI 49

Postado por MissHachi7 às 16:51 1 comentários
Ficar sem internet é excelente
para exercitar a paciência
e conversar um pouco com gente.

Coisas que não posso fazer enquanto morar com meus pais

Postado por MissHachi7 às 16:34 2 comentários
(eu jurava que essa lista seria maior)

- sexo [e se você conseguiu mesmo morando com os seus... parabéns];
- por os pés em cima da mesa [e aquele foi um empurrão que me tirou o equilíbrio];
- chegar de madrugada [festa de família não conta];
- sair sem dar satisfação [ô, sonho];
- trazer quem eu quiser pra casa [isso quase entra na categoria "sexo", mas às vezes são só amigos recentes, mesmo];
- fazer investimentos sem comunicação prévia ["eu preciso saber no que anda gastando MEU dinheiro"];
- ter seis gatos, dois cachorros, um peixe, uma tarântula, duas tartarugas e uma calopsita [óbvio];
- comer sem críticas [todos querem ajudar na dieta que não existe mais];
- falar palavrões em alto e bom som [ou não precisar inventar gestos para substituí-los - Geller];
- não arrumar a casa. nunca. [sim, eu sou um amor];
- fazer muitas tatuagens, colocar um piercing e pintar o cabelo [sem correr o risco de ser colocada pra fora, porque já estarei fora, muahaha];
- acordar a hora que quiser [até porque quando eu puder, não poderei por causa da faculdade/trabalho... beleza];
- decidir ficar em casa ["você não vai ficar sozinha, que ideia! Enquanto morar com a gente, vai com a gente aonde a gente for!"].

Se você não sabe por que estou fazendo essa lista, é porque não leu isto, então leia e vamos todos, todos juntos.

Definida pelos Astros

Postado por MissHachi7 às 15:52 0 comentários
   Só tem uma coisa que eu acho mais legal do que falar da minha vida pra vocês: falar de mim pra vocês! E mesmo que você não queira saber, aqui vão algumas dicas sobre minha pessoa astrológica, para que saibam exatamente como me irritar e como me agradar, lindezas. 
   Quem me falou tudo sobre mim foi a Maria Clara Canhas, gata que vai fazer faculdade comigo e é entendida das malemolências horoscopais [essa palavra existe? se não, devia existir]. Com apenas minha data, horário e local de nascimento, ela soube encontrar meu ascendente, e o posicionamento dos planetas que influenciam minha personalidade. Por isso, se não gostam de mim, culpem os astros...
O texto é da Maria Clara, e os [] são meus. Vamos lá!



ASCENDENTE - Áries

O ascendente fala do nosso "exterior", e Áries é um signo de muita energia, e muito competitivo [isso explica muita coisa], então você tem um corpo que é resistente a exercícios físicos [bom, há controvérsias, mas não se pode negar que meu condicionamento acontece em tempo relativamente curto quando me disponho a tentar], e você transmite uma aura de agressividade [eu?], mas não de uma forma ruim, é que prefere lidar objetivamente com os problemas, enfrentando-os [ah]... E com o tempo as pessoas a conhecem melhor e veem que você é virginiana [poxa, eu preferia a aura de agressividade], e Virgem é um pouco medroso, então você encara tudo por fora, mas por dentro recua [poxa, eu sou propaganda enganosa...].

VÊNUS - Libra

Quando se trata de amor, o planeta Vênus é o mais importante, e você o tem em Libra, o que significa que gosta de um amor clássico, estilo século 18 [posso admitir que isso me assustou? obrigada], e procura um homem cortês, praticamente um príncipe encantado [não me admira se morrer virgem, nunca vou achar um desses], e mesmo que passe por desilusões amorosas, sempre procurará o seu par perfeito, porque acredita nisso [que vergonha, acredito mesmo, eca]. Você seduz de maneira delicada [opa, eu não seduzo de jeito nenhum], e prefere conversar mais com os homens... Libra é o signo mais diplomático do horóscopo, por isso você não é do tipo mulher fatal [é, nem se eu quisesse...], que gosta de intimidar... você é mais companheira [acho que é por isso que sempre acabo na Bro Zone], e quer agradar no relacionamento ou na cama [na cama é mais fácil, mas no relacionamento é mais necessário, fica a dica, gente].

MARTE - Câncer

Marte em Câncer é um posicionamento que indica que você faz as coisas em prol da família [CONTE MAIS]. Como você não tem sua própria família, imagino que faça tudo para agradar seus pais [bom, eles não concordariam se eu dissesse que faço TUDO, mas é por aí], e isso realmente te faz bem. Marte é o planeta da guerra, então ele determina como você age quando vai em busca de algo (o ascendente tem muito a ver com isso também). E ele indica que você normalmente reage a críticas de forma emocional [nem me fale], sente-se mal com aquilo, mas não guarda rancor [às vezes guardo, sim, no entanto continue que estou gostando], e essa posição deixa evidente que você dá valor a demonstrações de carinho e dos sentimentos [muito, tanto é que quando alguém é legal comigo a primeira coisa que faço é vir contar pra vocês... até porque raramente acontece].

LUA - Gêmeos

A Lua é o astro das emoções... é o seu lado C (porque seu lado B é o ascendente... que deveria ser seu lado A, porque é o que as pessoas mais veem em você [gata, nesse momento você quase me perdeu, minha lerdeza custou acompanhar]), e a sua em Gêmeos, no seu mapa, dá uma confusãozinha em você [isso também explica muita coisa], porque é um signo muito dinâmico, que não se concentra muito facilmente [olha, não é só ele não, eu também], então você tem, às vezes, que se esforçar para prestar atenção em uma coisa só, já que quer fazer várias ao mesmo tempo [o que me assusta é ela saber tudo isso, cara, na boa, isso é incrível!]. E acho que a sua parte escritora é a parte Gêmeos, porque geminiano adora colocar as coisas no papel, por sentir que deve colocar detalhes individuais e emocionais pra fora, pra analisar racionalmente. É seu único lado frio [né? eu amei tudo isso, não pode ter muita frieza em mim!].



Eu sou uma zona, inclusive astrologicamente! Foi lindo saber de tudo isso, além de ter sido muito divertido. Maria Clara, obrigada pelo tempo e desculpa dar tanto trabalho! Como te falei, você me dizer essas coisas todas me encantou demais, é  E pessoas, concluam com isso formas novas de mandar zoeiras pelo email, tá ficando legal! THAT'S ALL FOLKS!




Caçula convincente

Postado por MissHachi7 às 14:40 0 comentários
  
 Minha irmã mais nova tem muitas habilidades interpessoais, e muitas delas provavelmente foram desenvolvidas com base no "não quero ficar igual a Hachi", mas de qualquer forma ela me surpreende de vez em quando. Seus sete anos de idade lhe deram argumentos de que eu não desconfiava. Enfim. Ela queria me convencer a assistir "Gnomeu e Julieta", mas como eu tinha muitas coisas a fazer [como dormir e comer - férias infinitas], impus certa resistência. 
   E sua cartada final foi:
   - Acho que você vai gostar, Hachiko, é quase Romeu e Julieta, mas são gnomos, e ninguém morre no final, então você não vai chorar!

Claro que assisti.
 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review