terça-feira, 17 de junho de 2014

Desaprendeu a amar?

Postado por MissHachi7 às 21:49


EU:
Você passou por tanta merda na vida que não consegue acreditar em ninguém? É, eu também! Perdi a habilidade de identificar uma mentira, um sentimento inventado, uma palavra vazia - se bem que não se perde o que nunca se teve. Hum. A questão é que antes eu ia fácil pra dentro de uma ilusão. A pessoa sorria pra mim e eu já montava [em tempo recorde, dois minutos] toda a nossa história de amor, começo, meio e fim [inclusive isso apareceu em um teste de personalidade, ô vergonha]. 
Agora, nem querendo. Não aprofundo. Tenho vontade, muita, de imaginar [á toa, claro, a gente nunca conta essas coisas pros outros, só faz dentro da cabeça, crianças, não estrague -mais- relacionamentos pensando em voz alta, obrigada] viagens, mudanças, animais de estimação, decoração da casa, lista de convidados pro casamento, nome dos filhos. E de vez em quando invento pessoas pra fazer de conta que estou planejando tudo isso com elas. Mas quando aparece uma pessoa real, eu não consigo mais. Minha criatividade congela. 
Tenho um medo infinito de nada virar nada. Quando a gente inventa sabendo que é de mentirinha, tudo passa e foi só mais um devaneio, nada de mais. Quando a gente inventa olhando nos olhos da pessoa, desejando do fundo do coração que tudo venha a se concretizar... e aí a pessoa vai embora, ou você tem que ir embora... é literalmente um pedaço do seu futuro que não existe mais. E dói, e demora a sarar.

ALGUÉM:
Que triste, Aline, deixa o tempo curar, que besteira, você não devia ter medo de amar alguém, de por tudo a prova. Quer dizer, só porque ninguém nunca ficou pra sempre, não significa que ninguém nunca vá ficar [isso fez sentido? você entendeu? ótimo]. Se você se recusa a acreditar em todo mundo, talvez a pessoa que realmente ficaria para sempre chegue e vá embora, porque ela também precisa encontrar em você um porto seguro, um abraço certo, e um coração confiante. Como você se sentiria se amasse alguém que duvidasse do seu amor?

EU:
Claro, ma-ma-mas e se eu acreditar e for tudo mentirinha de novo? Vou me sentir humilhada e ridícula de novo, e convenhamos, já me senti assim muitas vezes antes e não foram experiências agradáveis. 

ALGUÉM:
Ah, bom, então já sabemos o que está acontecendo. Você está com medo de machucar seu ego. Não tem nada a ver com não gostar da pessoa ou não confiar nela, você está é com medo do seu orgulho ser partido outra vez, mas olha, se você viver para proteger seu ego, nunca vai sentir nada de verdade. Nada pode te machucar de verdade quando se trata de confiar no sentimento das pessoas, você é uma alma eterna, minha filha, esse tipo de coisa vista da eternidade é tão pequeno e egoísta que todos aqui rimos de você. Por favor, perceba que está fazendo uma escolha bem limitada. 
Por um lado, você não acredita em ninguém e se mantém segura dentro da sua bolha mágica de isolamento, passa por experiências sem significado ou profundidade e evita o que chama de "humilhação", porém ao mesmo tempo acaba privando a si mesma de encontrar o amor como ele vem - repleto de imperfeições, porque você está lidando com seres humanos, mas também cheio de cumplicidade e, talvez, se tiver sorte, alguns objetivos semelhantes, e alguém para compartilhar sua jornada na Terra. 
Agora, se você parar para pensar, mesmo que não encontre, qual o problema? Nunca há ônus em confiar no amor que vem até você, no final. 
O verdadeiro problema reside em não amar verdadeiramente, não cuidar dos próprios sentimentos e ser irresponsável com o sentimento que lhe é confiado por alguém.
Para resumir, você está sendo uma covarde. Esqueça toda prova contrária que lhe apareceu a respeito do amor. Ele existe, e você vai encontrar, mas tenha em mente que ele sente o cheiro do medo. Não seja ingênua, porém não tente se blindar contra tudo de bom que o Universo está disposto a ceder a você. 
Reaprenda a amar. E vê se cresce.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review