quinta-feira, 31 de julho de 2014

Desafios em Relacionamentos I

Postado por MissHachi7 às 00:51 0 comentários

"frase tosca sobre relacionamentos" - pessoa que ninguém conhece

Eu já fui sincera com vocês e admiti meus [múltiplos] defeitos quando se trata de relações interpessoais em várias postagens aqui no blog, e quando se trata de relacionamentos do tipo "namoro" - sim, entre aspas - todas as minhas falhas se ampliam e ganham foco. Porque acontecem algumas coisas que me confundem, e eu já sou meio estranha, então quando tem um ser do sexo masculino pelo qual eu me sinto atraída por perto, essas duas qualidades [confusa e estranha] brigam para ver quem se manifesta em tom mais alto.

Por exemplo, eu sou, em geral, ciumenta. Não do tipo controlador, porque eu tenho preguiça demais para isso. Imagine, ter que vigiar a vida de alguém. Não cuido direito nem da minha. Porém, adoro ter atenção e fico ressentida quando não a recebo. Coisa de criança [falo que não sirvo pra ser adulta, não botam fé]. Já me peguei implicando com parentes por tomarem muito o tempo do ser a quem me apeguei [coisa eventual, não deve se repetir, juro], tendo vontade de perguntar sobre horários e lugares [MAS ME CONTIVE], e a clássica "quem é sua amiguinha?".

Eu não sou romântica [milésima vez que digo isso] e romantismo meio que não soa natural pra mim. E foi engraçado notar isso num acontecimento mais recente. Estava eu ajudando-o a dobrar roupas, quando encontro uma caixa vermelha em forma de coração estrategicamente colocada no meio delas. Tranquilamente coloco-a fora do monte e continuo arrumando uma camisa... Aparentemente eu deveria ter reagido melhor, mas ao ser questionada a respeito, fui sincera: 
- E se não fosse pra mim? - quer dizer, vai que eu começo "oh meu deus, que lindo, que gracinha, isso é chocolate? caralho, amei" e ele me lança um "nossa, como é que isso foi parar aí, é pra minha mãe", sei lá.
- PRA QUEM MAIS SERIA?
- Sei lá.

E lá se foi o que devia ter sido o momento mais romântico dos últimos 20 anos [da minha vida, só pra ficar claro].

E tem a distância, que parece, ao mesmo tempo, evidenciar o quanto a pessoa é importante para você... e o quanto você não se ocupa o suficiente durante o dia. Talvez seja porque não estou tendo aulas, mas é sinceramente difícil evitar passar o dia todo procurando coisas pra fazer a fim de não ficar conversando no Whatsapp. E ainda mais difícil manter o foco quando não estou conversando com ele. De novo, coisa de criança, mas CARALHOS VOADORES, é complicado estar longe da pessoa que te faz se sentir bem.

A lista não para de crescer... só não fica maior que a lista de motivos pra querer estar com ele.

NÃO, ISSO NÃO CONTA COMO ROMANTISMO, é só óbvio. 

terça-feira, 29 de julho de 2014

HAIKAI 51

Postado por MissHachi7 às 22:57 0 comentários
Ir embora parece tão ruim
mas é a única certeza que podemos ter
todo mundo vai - ninguém fica até o fim.

As declarações de amor mais sinceras

Postado por MissHachi7 às 18:38 0 comentários
"Eu te amo quase do mesmo tanto que eu me amo."

"Eu gosto de você como eu gosto de bacon."

"O seu abraço é acolhedor."

"Prefiro ficar acordado falando com você." [1:30h, segunda-feira, aula às 7h]

"Eu guardei o recado que você escreveu para mim."

"Vou esperar pra assistir o próximo episódio com você."

"Eu sinto saudade de você."

"Vou fazer uma pirâmide de corações pra te animar."

"Acho que encontrei minha alma gêmea!"

"Vem aqui fora me dar um abraço." [2h da madrugada]

"Vamos pedir uma pizza."

"Só você mesmo... pra me dar motivo pra viver."

"Te amo pra caralho, só quero seu bem, porra."

"Você é um ser um ser mucho esquisito e frenético... eu gosto de você."

"Sua opinião importa pra mim."

"Ainda bem que você existe."

"Eu odeio você bem menos que odeio o resto do mundo."



Nomes dos meus filhos que não existem

Postado por MissHachi7 às 01:35 0 comentários


Bom, algumas vezes discussões acontecem por motivos justos. E algumas vezes não.

ANDRESSA: - Hachi, como você vai chamar seus filhos?
EU [/reflexo]: - Leni e Lúcio.
ANDRESSA: - E não vai ter nenhuma "Andressa"?
EU: - Você também não vai ter nenhuma "Aline"!
ANDRESSA [/chateada]: - Mas também não tem ninguém com o nome de nenhuma outra amiga minha!


Meu pensamento na hora: Eu nem quero ter filhos, essa discussão não está acontecendo.

Obs: só para constar, eu realmente não quero ter filhos, mas sabe como é, a gente tem que saber a resposta para perguntas assim. E eu gosto de como soa "Leni e Lúcio", parece mesmo um casal de irmãos, mais ou menos da mesma idade, que gostam de arreliar mas no fundo se amam, sabe. Não sabe? É, eu tenho o direito de devanear o quanto quiser.

Como minha sorte funciona

Postado por MissHachi7 às 01:16 0 comentários
(Isso é a vida falando comigo, mas eu a abraço como uma velha conhecida e deixo ela entrar de novo)

Minha melhor amiga passa no vestibular pra Medicina!.... numa estadual longe para caralho, vai embora e volta uma vez a cada duas eras do gelo.
Fico dois anos sem passar no vestibular... em seis meses passo em duas federais pro curso que quero, mas só depois de já estar matriculada em outra, e adivinha? não posso aproveitar matéria nenhuma no processo de me transferir.
Conheço pessoas maravilhosas, engraçadas, lindas[...] pela internet.... moram longe.
Conheço o provável amor da minha vida... alguns dias antes de eu me mudar para outra cidade, a meio mundo dali.
Consigo ir ao médico para cuidar de uma infecção de garganta com 1 mês de idade [a infecção, claro]... tomo antibiótico e tenho uma reação alérgica a ele.
A vida samba.
Na minha cara.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Tretas de ir para Belo Horizonte

Postado por MissHachi7 às 19:44 0 comentários


Esse negócio de criar raiz em pessoas não serve pra nada. Pra magoar a gente, talvez. 
Por que se apegar? 
Porque não tem como fugir disso.
Conhecemos quem nos faz bem e queremos ter aquilo por perto por um tempo
[para sempre, por exemplo].
E ir embora dói porque a gente sabe:
mesmo prometendo que nada vai mudar,
tudo muda.
Então esse é o principal problema da mudança, a gente vai
e sente arrebentar alguns laços,
distender outros, 
carregar alguns.

Outra questão, menos abstrata e mais ligada a tretas práticas da vida
é o quanto arrastamos tralha por onde vamos.
A gente fica levando coisas de que não precisa pra todo lado, 
mas quando se está mudando com um orçamento baixo
tem que se ater ao estritamente necessário, porque não há como levar tudo.
Encaro minhas [muitas] porcarias e lamento não poder carregar tudo comigo.
Mas não é o que fazemos o tempo todo?
Em algum momento temos a sensação de que tudo nos é tirado
e aí paramos pra pensar e na verdade ainda temos o que precisamos.
Acho que é o Universo me obrigando a filosofar.

Mais um medo que a gente passa quando está indo pra um lugar onde não conhece ninguém
é ter que conhecer alguém.
Talvez não seja necessariamente um problema para todo mundo, 
mas para mim, construir relacionamentos de amizade é processo moroso
cansativo
demorado mesmo
e já aconteceu de eu chegar em um lugar novo decidida a não ser amiga de ninguém
[acabei arrumando umas três pessoas mesmo assim, porque tem quem nos conquiste até quando estamos com todas as armaduras seladas].
Agora não, eu estou indo já receptiva a novas amizades...
Que saudade do familiar, do confortável e do conhecido, previsível.
Sim, eu sou meio covarde às vezes.

Eu morei só em um pensionato enquanto estive em Araxá,
e agora vou morar numa república.
Dá calafrio porque é novo, e diferente.
Adolescentes, sem supervisão, sem uma autoridade a quem reportar tretas.
E aí a Hachi criança fica meio com um pé atrás.
Se não fosse a Ayana [outra, não a minha], eu provavelmente já estaria tendo ataques de pânico a respeito.
Então a Hachi quase adulta manda um HAKUNA YOUR TATAS e os nervos param de vibrar.

Menoridades:

- descobri que sou alérgica a penicilina [do jeito difícil, ou seja, tomando antibiótico e acordando inchada e com manchas vermelhas]... rezemos para que nunca pare desacordada num hospital e alguém tente tratar alguma infecção em mim com isso. AMEM.

- morar em prédio provavelmente limitará minha relação com a música aos fones de ouvido definitivamente [ouviu isso? é meu coração se partindo];

- eu moro em uma cidade média, fui morar numa cidade pequena e agora vou pra uma cidade monstro. Faça as contas e concordemos que as chances de isso dar certo não parecem estar muito a meu favor;

- ontem a Bruna perguntou onde fica o prédio da Engenharia na UFMG e eu não soube responder, então talvez eu não apareça nos primeiros dias de aula por ainda estar procurando por ele.



Punições Justas

Postado por MissHachi7 às 17:44 0 comentários


Minha mãe me pune por não querer visitar os outros me obrigando a ser a empregada doméstica se eu ficar em casa.
É um excelente negócio: poder lavar a louça, os banheiros, as roupas de seis pessoas, cozinhar e organizar a casa em troca de não ter que fazer uma social contra a vontade?
É um lucro de 100%.


Outro castigo interessante que ela me impõe [oi? tenho 20 anos, por quê?] é ler livros de autoajuda sempre que reajo mal a alguma situação social.
Por que não? Ler dez livros do Osho por ter tentado convencer uma noiva a desistir do casamento imediatamente antes da cerimônia? 
Acho que vale a pena.


E quando eu e meus irmãos discutíamos ela nos fazia abraçar um ao outro e pedir desculpa e dizer que a gente se amava. 
Hoje a gente se dá muito bem, acho que isso ajudou.
Quer dizer, pra poder fugir de ter que ficar se abraçando com raiva a gente parou de brigar.




quarta-feira, 23 de julho de 2014

Conversa engraçada MMXIV

Postado por MissHachi7 às 21:44 0 comentários
  

   O Mágico conversou pouco comigo, mas teve um dia que nos falamos muito, e eu ri o tempo todo, foi ótimo. Antes de mais nada, as mágicas foram o máximo. Só que teve um pedaço de conversa que me deixou com cócegas na memória por tanto tempo que precisei anotar, e aquilo ficou na minha agenda por um tempo e mesmo assim senti que não bastava. Preciso postar aqui.

"Quando eu era pequeno, queria, quando crescesse, ser mágico, astronauta ou paquito da Xuxa."
Todo mundo começou a rir, ele também, e finalmente ele completou:
"Zoeira, nunca quis ser astronauta."

O dom de surpreender...

terça-feira, 22 de julho de 2014

UFMG, aqui vou eu!

Postado por MissHachi7 às 20:48 0 comentários


Sou fabulosa demais para dar notícias. É, vou me mudar de novo, vou recomeçar meu curso querido [Engenharia de Minas, e não façam as piadinhas], vou pra capital, finalmente pra parte mineira de Minas [é o que dizem os de lá], vou tentar fazer as coisas darem certo.
Acho que devo ser a criatura que mais passou por conversas intimidadoras com veteranos na vida, céus, parece que sou eternamente caloura, que coisa.
Que seja a última vez que precise chamar alguém 2 anos mais novo que eu de Excelentíssimo, yay.

Por outro lado, sempre dei a [grande, rara] sorte de as pessoas que fazem um bullying maroto online serem pessoas maravilhosas na vida real, depois de algumas exigências diferentes como ler poemas no refeitório ou mandarem tinta no seu [não lindo, porém muito querido] cabelo. Por exemplo, naquele incidente em que eu caí numa festa, as pessoas que me socorreram eram quase todas veteranos. Salvando minha vida. Vou chorar.

É ruim mudar, é desconfortável, é corrido, implica em despedidas e eu sou péssima nisso. Araxá virou lar. Pessoas de lá viraram família. E desde já tenho ouvido coisas como "você vai me abandonar" ou "mas BH é tão longe". 

Não tô abandonando ninguém. E BH ser longe, bom, isso é relativo, é longe daqui, mas é perto de Betim [ba dum tss, que bosta]. É só algo que eu preciso fazer. Eu preciso do susto, do medo de ir pra lá. Sou repleta demais de frescuras, e já aprendi que só me pondo a prova conseguirei mudar algumas delas.

Espero desafios, mas também creio [preciso crer, come on] que consigo criar lar lá também. 

Ninguém precisa ler isso, eu preciso me convencer. Estou apavorada. É maravilhoso e aterrador ir para longe de casa [eu achava que Araxá era longe, inocente]. Mas se eu consegui ir até lá sozinha, resolver a treta da matrícula e voltar viva, talvez eu seja menos incapaz do que julgo.

Sim, eu tenho um complexo de inferioridade, mas nem é um tão bom, é um complexozinho...

Espero sinceramente que as coisas funcionem no final, mesmo que não sejam fáceis, simples ou fluentes. Continuo pedindo sempre mais força, jamais tarefas menos exigentes.

Para quem assustou com o meu sumiço, ou nem sabia que eu tinha vindo embora, bom, é como eu disse, não sei despedir, choro demais, fico perdendo palavras no caminho. Fica desse jeito mesmo, só um "até logo", porque a vida vai fazer a gente se ver de novo muito em breve. 

Por favor, não acorde os fantasmas do seu amor

Postado por MissHachi7 às 20:41 0 comentários


Estou dizendo com todo o amor do mundo,
mas apenas com toda a delicadeza que consigo:
NÃO VOLTE ATRÁS.

Você precisa sair daqui,
como eu faço pra você se levantar?

Por favor, não desista agora, olha para mim, olha aqui nos meus olhos.

Você não lembra de tudo que te fez sair de lá?
De quem te magoou?
Não lembra de todo o sofrimento que te fez vir pra mim?

Não me faça te derrubar, olha aqui.

Isso acontece e é normal. A vida passa medo na gente.
As coisas ficam difíceis sim, por que deveria ser fácil?
Olha pra mim.
É difícil sim, mas não tem que ser impossível.

Se você for querer reconsiderar sempre que sentir saudade, aí será.

Não pense que a nostalgia de agora é um momento de lucidez, é uma recaída.

Nada justifica reciclar sentimentos depois que você já desistiu.

Alguém pode me trazer uma coberta? Ela está congelando aqui.

Ei, me escuta, pode não parecer agora, mas tudo melhora se você seguir em frente.
EM FRENTE.
Ele não quer nem abrir a porta, por que te aceitaria de volta?
Ai, não me chute assim, estou sendo sincera.

Vamos para casa, eu faço um café quente e você pensa melhor.
Do fundo do meu coração, não tenta ressuscitar seu passado.
Até entendo que você queira olhar pra ele com carinho de vez em quando, mas sinceramente...

...

Com licença, isso, obrigada.

...

Você nem está me ouvindo, certo?
Tudo bem, então.

***

Dói ver você assim... deitada nesse sofá
mesmo dormindo seu rosto não relaxa
aposto que está sonhando que continua sentada na entrada da casa dele.
Sinto muito, minha linda, por ter chegado a esse ponto.
Entenda que não posso deixar você voltar para quem a deixou assim.
Ele não vai abrir aquela porta nunca mais.
Não volte atrás quando perceber que não foi amor.

domingo, 13 de julho de 2014

Vamos manter a autoestima alheia lá no alto

Postado por MissHachi7 às 11:50 0 comentários


Mas vamos tentar com amor :)

terça-feira, 8 de julho de 2014

Por que é tão fácil falar de amor

Postado por MissHachi7 às 22:40 0 comentários

Porque virou clichê.
Raramente analisamos sentimentos antes de vomitá-los.
Não sentimos antes de descrever.
Somamos descrições de sintomas alheios e assumimos a doença como nossa.
Amor nosso.
É como ter uma virose, pesquisar no Google e "descobrir" que tem um tumor no cérebro.
É fácil falar de amor porque não se fala em amor.
Fala-se em tudo que há de vulgar, de ordinário, de físico, de aparente, de supeficial.
Em poucas palavras vê-se amor de fato.
Amor sentido.
É simples descrever aquilo que não o atropelou.
Aquilo que só se viu de longe.
Mesmo assim... descreve-se errado.
Incompleto.
É fácil falar de dor que não se experimentou.


Acha que me ofende...

Postado por MissHachi7 às 22:33 0 comentários

Só isso mesmo, obrigada.

Raivosidades

Postado por MissHachi7 às 22:04 0 comentários
Olha, justiça, para mim, é quem cozinha não ter que lavar a louça depois da refeição. E se não rola justiça nem aqui em casa, não espero muito mais da vida.

Sabe aquelas pessoas irritantes para cacete que têm resposta pra tudo? Eu sou uma delas.

Cortar o cabelo é catártico, eu devia fazer isso mais vezes.

Toalhas brancas são uma das piores idéias do mundo. 

Instintos assassinos nunca puderam colaborar com o estabelecimento de novas amizades, mas já ouviram falar em ódio fraterno?

Granola com castanha-do-Pará é evolução: 2 pontos quando acho uva passa, 5 quando é uma castanha. A vida sozinha pode ser emocionante.

Adoro ser a segunda opção das pessoas, geralmente elas não sabem planejar porra nenhuma direito e acabam vindo mesmo pra mim.
 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review