terça-feira, 25 de agosto de 2015

Uma treta de Natal

Postado por MissHachi7 às 20:23 0 comentários
Minha falta de refinamento nos tratos interpessoais sempre foi algo reconhecido por meus amigos (e já contou pontos positivos: a mãe do meu namorado me elogiou por minha ausência de sofisticação, uma vez), e eu sempre me esforcei pra ser minimamente agradável com as pessoas em geral, nem tanto porque elas merecem, mas porque me sinto compelida a tal.
O que vou contar hoje aconteceu há mais de dois anos, e talvez tenha rolado grandes consequências, mas não fui informada a respeito (graças a Deus), e acho que todos podemos aprender uma lição aqui.
Era Natal (ei, talvez eu devesse deixar pra contar isso no Natal... bah, foda-se), e eu, derramando virtude, como sempre, mandei mensagens de Feliz Natal para todos os contatos do meu celular - impessoal e rápido, mas mostraria que eu me importava o suficiente, certo?

Minha motivação era puramente social - só queria ser simpática com meus amigos.

Parece cedo, mas já vamos questionar algumas coisas na minha atitude: quem faz isso, né? Que ideia idiota. Que falta de criatividade, puta merda. É, não tenho nada em minha defesa. Continuando...

Como todo ano eu fazia isso, não esperava bosta nenhuma bater em ventilador algum, e esperei as costumeiras respostas (igualmente impessoais e genéricas, mas eu sentia meu mínimo esforço valorizado), mas uma delas se destacou.

"Quem é?".

Interessante. Aparentemente, salvar contatos apenas com primeiros nomes e siglas não é uma das coisas mais inteligentes do mundo. Eu também não sou. Respondi, inocente:

"Hachi, uai.".

E meu celular começou a tocar segundos após a mensagem ser enviada. 



Não havia nada no mundo que houvesse me preparado para o seguinte telefonema:

- Alô? - minha voz era de uma alegria natalina maníaca, cheia de esperança de que meu bom humor dissipasse qualquer dúvida de que eu me lembrava quem era Lucas N. L.
- Que Aline? - a voz de um rapaz, definitivamente acuado. Ao fundo, uma garota estridente: "Feliz Natal por quê? Quem é essa?!".
- Oi, desculpa, eu mandei mensagem pra todo mundo, não queria que desse problema - a voz ao fundo continuava "ANDA, FALA QUEM É SUA AMIGA" - e eu ficaria feliz em falar com sua namorada e explicar o que rolou. - eu já estava em pânico por ele. Sentia um buraco atrás da cabeça, devia ser a bala que a menina plasmava em mandar na minha bela, amedrontada face, que ela nem conhecia.

A ligação foi encerrada. Eu estava já desesperada, temendo ter arruinado o Natal de um casal que (fora a namorada doentia, pateticamente ciumenta e desconfiada) era feliz. Como todo maldito ano, estava na casa dos meus avós, com o estômago cheio além da própria capacidade, com sono e, talvez por isso, com a capacidade de julgamento meio comprometida. 
Com muita boa vontade, liguei de novo para Lucas N.L. 

- O que você quer com ele? - a Ciumenta atendeu. Ao fundo, um miado de "amor, desliga, nem sei quem é essa menina, por favor"
- Nada, sério, eu estava tentando explicar que mandei a mensagem pra todo mundo, não foi...
- Sei. -, ela cuspiu, ríspida, e desligou.



Suspirei. Senti pena do rapaz e me afundei numa pocinha de culpa. Após uma meditação meticulosa - que não é meu forte, mas deu resultado -, lembrei de por que tinha o número dele. Um colega meu tinha pegado o celular dele emprestado pra me ligar uma vez! ERA ISSO!
Porra, eu realmente não tinha nada que mandar mensagem pro moleque. Meu colega tinha me avisado que a namorada dele era possessiva. Lucas N. L. Namorada Louca.



Mantendo a presença de espírito, pensei em ligar de novo, mas pareceria que eu estava defendendo o cara. Não podia ficar sem fazer nada. Mandei mensagem pro meu colega pedindo pra ele mediar o conflito quando pudesse, explicando que eu era uma idiota (eu não ligo em ser ofendida se eu que sugeri ser ofendida). Não sei se ele o fez.

A lição aprendida aqui, crianças, é que mensagens impessoais e genéricas são DO MAL e podem começar romances (como no livro @mor), mas muito mais provavelmente guerras. 

Então se não puder mandar uma pra cada amigo, não mande nada. 
E é por isso que ninguém recebeu Feliz Natal de mim ano passado, beijo.
 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review