sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Família

Postado por MissHachi7 às 21:25 0 comentários
"Às vezes, o melhor que podemos fazer é lembrar um ao outro que somos aparentados, aconteça o que acontecer... e tentar ao máximo limitar as mortes e mutilações." - Rick Riordan

Outro rascunho

Postado por MissHachi7 às 21:24 0 comentários
Sair com pessoas que bebem nem sempre é um problema, mas se você se apaixona por alguém que tem hábitos que você desaprova, pode se tornar motivo para discussões repetitivas [e vamos concordar, discussões, por si mesmas, já são terríveis, e tornam-se insuportáveis ao entrarem no modo replay].


" - Acho que vocês dois combinam bem.
- Ele me chamou de PORRE!
- É o que ele mais ama na vida."

Oh, internet

Postado por MissHachi7 às 21:23 0 comentários
Nesses últimos meses de carência avassaladora, como sabemos, eu conheci muitas pessoas pela internet.
Ah, Aline, nem adianta disfarçar, nós sabemos que você já faz isso há muito tempo.
Você não está errado, só é um idiota.
Então, eu conheci ainda mais pessoas pela internet. E como eu raramente ouço os conselhos que dou aos outros, posso ter me apaixonado uma ou seis vezes. Acontece que, graças ao bom Rei do Terror, em pouco tempo as pessoas entendem que eu sou uma bagunça e desistem de mim antes que eu cometa o grave erro de encontrá-las ao vivo.
Sim, porque eu nunca desisto das pessoas, elas desistem de mim.
Enfim, pensando sobre como eu sempre dou o puta azar (ou tremenda sorte) de morar longe das pessoas com quem me apaixono, talvez eu devesse abrir minha mente para o que o Universo está tentando me dizer.
Se as únicas pessoas interessadas em mim são aquelas que sabem que nunca correm o risco de ter que realmente ficar comigo, talvez ninguém goste de mim de fato.
Se só quem nunca me viu ao vivo me acha bonita, ei, talvez eu não seja bonita. Apenas ridiculamente fotogênica.
Se minha única oportunidade de relacionamento é o à distância, talvez, apenas talvez, eu esteja melhor sem relacionamento algum.
Porque reflita comigo um instante. Eu tenho 20 anos de idade. Imoral ou não, eu deveria ter tido mais experiência no campo amoroso. Não quero pegar muitos caras. Definitivamente queria me apaixonar uma vez e ficar com um só pro resto da vida. Mas sabemos que saporra não tem funcionado bem pra mim.
A questão fundamental é: eu quero mesmo ficar dependente de contatos que não são contatos?
Por outro lado, é inegável que tenho recebido muito mais conforto e atenção dessas pessoas que nem me conhecem que das que sim.
Ah, Aline. Talvez, só uma hipótese mesmo, eles sejam legais com você porque não sabem como você é uma chata ingrata preguiçosa gorda irritante do caralho. Só uma ideia.
Hum, válido.
Isso pode estar acontecendo, apesar de eu sempre afirmar tudo isso ao conhecer a pessoa.
Você duvida? Sério, eu me asseguro de que elas saibam onde estão se metendo.
Eu aviso que sou uma ogra de 120kg que fala de boca cheia e dorme mais que deve durante as férias. Aviso que tenho ataques de mau humor, falo com voz irritante e de vez em quando mando áudios no whatsapp cantando let it go.
E mesmo assim, algumas delas continuam por perto, rindo comigo, me animando quando estou triste e sendo sinceras comigo, e eu sou com elas.
Tenho amigas e amigos virtuais que amo sinceramente, porque eu conheço muito melhor que alguns que vejo todos os dias "ao vivo", e porque eles me conhecem. E se importam comigo, e provam isso. Como eu poderia evitar de me apaixonar?
É, eu tenho problemas.

[2014]

Obrigada, querido

Postado por MissHachi7 às 21:23 0 comentários
Por me amar como me ama.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

A questão sobre palavras

Postado por MissHachi7 às 22:23 0 comentários
      Todo mundo sabe que eu sou parte humana e parte ogra, né. Então. Eu uso isso de vez em quando para justificar minhas explosões de raiva, minha falta de delicadeza na hora de me expressar. No entanto, ultimamente tenho me policiado [não de forma eficiente, porque também sabemos que sou relapsa] para não dizer coisas maldosas para as pessoas. E para animais.
      Conversando com alguns amigos, notei que todos já ouviram algo que ficou marcado de forma negativa. E não é nada recente, tem coisa que ouviram há 30 anos, 20 anos e ainda pesa na cabeça deles. Não foi dito por alguém importante, não foi num contexto relevante, mas uma frase causou impacto.
      Aí eu fiquei me lembrando de todas as vezes em que fui deliberadamente malvada com alguém [a maior parte foi quando era criança], e que sabia que estava sendo uma pessoa ruim, mas não achava que ia causar um sofrimento maior que o susto do momento, sabe, pensava que o que eu dissesse ia ferir e passar. Mas se tanta gente lembra de coisinhas tão simples, ditas sem nem ver, provavelmente alguém deve lembrar de alguma maldade minha.
      Hoje em dia eu já não faço tanta questão de ferir intencionalmente, porém tenho certeza de que deixo escapar comentários [desnecessários], ou emito opiniões [não-solicitadas] que podem deixar alguém muito magoado, talvez por mais do que alguns momentos.
      Não é desculpável o fato de fazer isso só porque não percebo.
      Nós temos tanto potencial para alegrar o dia de alguém, e ser uma presença querida, e mesmo assim tendemos [note que nós=eu] a agir como se fôssemos melhores, ou mais inteligentes ou mais corretos, e podemos ser um motivo de dor tão profunda!
      Não tenho certeza sobre quanta negatividade já causei nessa vida [ê, melhor nem parar pra pensar muito nisso], mas sei que esse cuidado com as palavras que dizemos é necessário porque tenho, também, a frase que me marcou e provavelmente foi dita sem a intenção de ser chocante.
      "Você nunca vai passar em curso nenhum."
      Bom, claro que eu obviamente passei em vários cursos, inclusive cheguei a uma das melhores universidades federais, num dos melhores cursos, então a frase é mentira. Mas mesmo assim, ainda lembro delas e me sinto péssima, quase fisicamente. E a pessoa já reconheceu que falou merda, pediu desculpa... mas eu não vou me esquecer.
      Então a questão sobre palavras é que, depois de soltas..................você pode implorar perdão, pode até provar que não acredita mesmo nelas. Pode agir como se não se lembrasse [ou realmente esquecer], mas não pode sumir com elas.
      Cuidado, ok? 

I'm back, bitches

Postado por MissHachi7 às 21:49 0 comentários
        Não sei se alguém sentiu falta (eu senti!), mas essa é a primeira vez que tenho férias de verdade desde que entrei pra UFMG, então espero poder usar esse tempo para escrever aqui, já que minhas fabulosidades se acumularam nos últimos meses (mentira, eu mal tenho ideia do que escrever neste exato momento).
        Os hiatos vão continuar existindo, e eu perdi muito da minha capacidade literária (que já era escassa) por simplesmente não ter tempo para ler tanto quanto gostaria, e por não ter praticado a escrita já há uma era. Então, se você está lendo isso, sinto muito, e obrigada!


 

Casa da Hachi Template by Ipietoon Blogger Template | Gadget Review